Feeds:
Posts
Comentários

Archive for outubro \24\UTC 2011

Troféu do Brasileirão
Quem vai ficar com ele dessa vez?

As últimas duas rodadas do Brasileirão trouxeram duas certezas: São Paulo e Internacional não vão brigar pelo título. A maioria dos comentaristas e até os torcedores provavelmente concordam com isso. O time do Morumbi se perdeu por causa de Adilson Batista e ainda segue sem técnico. Já o do Beira-Rio tem mostrado que sente demais a falta de Leandro Damião e não consegue brilhar nos grandes jogos, como contra o Corinthians, neste domingo.

Então a questão, já levantada aqui em um post recente, agora é: quem exatamente vai se manter essa briga até o final? Teoricamente existem cinco times com chances: Vasco, Corinthians, Botafogo, Flamengo e Fluminense. Mas é preciso ver cada caso e cortar alguns desses clubes. Explico…

O Fluminense é um dos times que eu duvido. Não acredito mesmo que vá ser campeão. E não é a primeira vez. Ano passado, também não acreditava que ele levaria o Brasileirão 2010. Errei, é verdade. Mas vou duvidar de novo. E agora com mais convicção, já que o Flu parece ter um time ainda bagunçado para ser campeão. A evolução do time depois da chegada de Abel Braga foi bonita de se ver, mas ainda é pouco. Falta muito.

E duvido também do Botafogo. Não é um time de chegada e nem tem um treinador de chegada. Caio Jr. é bom técnico, mas não sabe controlar seus jogadores em momentos decisivos. Isso ficou evidente nas últimas duas partidas. Não que tudo tenha sido culpa dele. Mas os próprios jogadores, até os mais experientes, como Renato e Loco Abreu, mostraram que o time não está pronto para a pilha de nervos que serão as próximas rodadas.

E é assim que o Brasileirão 2011 será decidido: nos últimos jogos, em confrontos nervosos, nos quais quem tiver mais sangue frio vai vencer. Vasco, Corinthians e Flamengo vão brigar por esse título. Nenhum deles é favorito, não há um supertime, sequer há alguém com regularidade. Detalhes vão decidir quem dos três será o campeão.

Se eu tiver que arriscar um palpite, acredito que o Corinthians será campeão. Mas é maldade fazer qualquer um apostar nesse campeonato tão maluco. Bom mesmo é acompanhar essas próximas sete rodadas, que serão eletrizantes.

Anúncios

Read Full Post »

A saída de Adilson Batista do São Paulo era mais do que esperada. Sua contratação já tinha sido estranha, absurda, e a demissão era questão de tempo. E esse tempo demorou até demais para chegar. Agora o “São Paulo perdeu o rumo, bem na hora em que era mais importante ter equilíbrio na corrida pelo hepta”, como escreveu Antero Greco. Para piorar, a diretoria ainda não resolveu se vai contratar um novo técnico ou se vai “manter Milton Cruz como interino” até o final do Brasileirão 2011.

A primeira opção é a mais difícil. Concordo com Arnaldo Ribeiro:  “o próximo técnico do São Paulo precisa ser um herói”PVC e Vitor Birner também escreveram sobre o perfil do substituto de Adilson: precisa ser alguém linha dura, experiente e que passe confiança para a torcida. Já não é fácil achar nomes assim normalmente. Em final de temporada, pior ainda. Por essas e outras que o mais provável é que Rogério Ceni fique como técnico do time até o final do ano. Achou estranho? Explico…

Como escreveu Sérgio Xavier, Milton Cruz na prática será o auxiliar de um técnico que estará em campo. Isso porque a liderança que Ceni exerce sobre o grupo é grande demais. E essa é a nova esperança são paulina para que o time se recupere.

Não é uma má ideia. Pode até dar certo. Mas o São Paulo precisa rever seu conceito de “dar certo”. Afinal, com toda essa confusão na reta final, conquistar uma vaga na Libertadores de 2012 já será ótimo.

E depois disso, o ideal seria que o clube revisse a situação da sua diretoria, que agora ficou ainda mais queimada e foi criticada por Alberto Helena Jr., Benjamin Back, Eduardo Tironi e qualquer torcedor com o mínimo de consciência.

Mas fato é que o São Paulo não briga mais pelo título do Brasileirão 2011. Quem briga? Isso é assunto para outro texto…

Read Full Post »

Não é só mais uma história de um jogador agredido pela torcida.

Não é só mais um time que perdeu todas chances no Brasileirão.

Não é só mais um conflito entre técnico e jogadores.

A agressão a João Vitor e todas suas consequências são símbolos de como está mal o Palmeiras atualmente – um time de passado recente nebuloso, momento atual vergonhoso e o pior de tudo: com um futuro que não traz perspectiva alguma de melhora.

A primeira consequência do caso João Vitor é óbvia: o Palmeiras não tem mais qualquer chance no Campeonato Brasileiro. Na verdade só não será rebaixado porque faltam poucos pontos para se livrar disso, aproximadamente quatro em trinta possíveis. Mas sem dúvidas será um parto para esse elenco arrancar essas migalhas nos próximos jogos.

A segunda consequência já estava desenhada: Felipão não deve ficar no Palmeiras em 2012. Mesmo antes dessa confusão explodir, sua saída já era esperada. Logo ele, conhecido por criar famílias por onde passa, tem enfrentado uma rejeição muito forte no clube que é ídolo. Parte da diretoria tem criado dificuldades para ele, por causa do seu alto salário, e vários jogadores não o suportam mais. Enfim, sua permanência para 2012 seria uma surpresa e até uma saída imediata pode acontecer.

A terceira consequência só tende a agravar os anos de crise no Palmeiras. Afinal, ficará difícil para o time contratar qualquer jogador a partir de agora. Vágner Love certamente lembra que essa não é a primeira vez em que um atleta do time é agredido pela torcida. Com a reincidência qualquer um pensará mil vezes antes de assinar um contrato com o Palmeiras.

Por fim, a última consequência, mas a mais importante: o caso João Vitor expõe de vez toda a bagunça que é o Palmeiras. É um absurdo o time não ter respaldado seu treinador a ponto dos jogadores gerarem uma rebelião contra ele. Mas isso só aconteceu porque não há ninguém com moral que trabalhe essa relação entre jogadores e técnico. Dessa forma, o atrito entre as duas partes era inevitável.

Só que o problema do clube vai além desse caso específico. A situação política do Palmeiras beira o inacreditável. Quando saiu a notícia da agressão de João Vitor, houve quem suspeitasse até que seria algo encomendado para gerar desunião na torcida, que tem se juntado para fazer um movimento pela democracia do clube.

E pouco importa se isso é verdade ou não, se é imaginação demais ou não. O fato é que algo tão absurdo, uma agressão encomendada para fins políticos, jamais poderia sequer ser cogitada. O fato dessa hipótese ser considerada mostra como o cenário político palmeirense é perigoso, parecido mesmo com uma máfia, como o próprio Felipão já comparou. E o pior é que o presidente Tirone é um iludido e parece não enxergar toda essa situação, que é tão óbvia até para quem olha de fora.

Com tantas consequências, fica claro que esse não é só o caso de um João qualquer. É o caso de um clube que foi agredido, espancado, mal tratado e agora agoniza em estado terminal. E dessa vez parece que só um milagre pode salvá-lo. Como tem sido dito nos corredores do Palestra Itália, rezar talvez seja a única solução.

João Vitor agredido

João Vitor não apanhou sozinho. O Palmeiras sangra junto...

Read Full Post »

Quatro rodadas atrás, escrevi que a decisão do título do Brasileirão 2011 podia ficar entre Corinthians e São Paulo. O tempo passou, a tabela mudou, mas ainda acredito nessa possibilidade.

Admiro a arrancada recente do Flamengo e a consistência do Vasco, mas os dois paulistas também têm suas qualidades. E o mais importante: agora ambos contam com suas estrelas, seus astros. Agora eles têm Adriano e Luis Fabiano. Tudo bem, tudo ótimo, tudo certo? Nem tanto. Na verdade a estreia dos dois mostrou que eles ainda podem trazer problemas para seus times. Explico…

Luis Fabiano de volta ao São Paulo

Problema ou solução?

No São Paulo a entrada de Luis Fabiano pode causar mudanças profundas. Desde os tempos de Carpegiani, o time do Morumbi se acostumou a ser uma equipe de velocidade. Isso aconteceu por causa das características dos seus principais jogadores, como Lucas e Dagoberto, que são carregadores de bola e gostam de jogar verticalmente.

Mas com Luis Fabiano isso pode mudar. O jogo do São Paulo pode se tornar mais horizontal, já que haverá uma referência na área. E Adilson terá que cuidar para que a forma de acionar essa referência não seja só a jogada aérea. Até porque o “Fabuloso” tem competência para participar do jogo com a bola no chão também. Ele pode ajudar a manter o jogo de velocidade, mas isso precisa ser treinado.

Há ainda o risco de que Dagoberto saia da posição em que se tornou o melhor jogador do São Paulo e um dos melhores atacantes do Brasileirão. Ele tem atuado mais à frente, solto. Porém, com Luis Fabiano no time, pode ter que mudar seu posicionamento. Por enquanto ele tem mostrado que isso não vai atrapalhar. Até quando?

Adriano estreia no Corinthians

Problema ou solução?

Já no Corinthians o maior problema é o excesso de opções. O time de Tite se arrumou nos últimos jogos, quando o técnico teve poucas opções no ataque e se viu obrigado a escalar William e Jorge Henrique como titulares. Os dois, que eram titulares no começo do Brasileirão, voltaram com muita vontade e ajudaram de várias formas, com movimentação na frente e também com marcação forte quando o time ficava sem a bola.

O problema agora é colocar Adriano sem fazer com que o time perca movimentação e esse equilíbrio defensivo. E ainda há Liédson de volta, que até pode jogar bem ao lado de Adriano, mas isso teria que ser treinado. E o Corinthians não terá tempo para isso. Tite terá que ser rápido e ao mesmo tempo cuidadoso para escolher quando usar cada peça.

No caso do “Imperador” há ainda um risco mais grave, que são seus eternos “problemas pessoais”. É preciso que ele fique em forma e concentrado no Corinthians, não nas festas, para que possa realmente ser considerado um reforço.

Caso contrário, o que poderia ser uma solução vai virar problema. Tanto Adriano quanto Luis Fabiano trazem um diferencial importante para Corinthians e São Paulo. Mas também trazem problemas. Tite e Adilson precisam se desdobrar para que apenas a parte boa apareça nessa reta final do Brasileirão 2011.

Read Full Post »

O Campeonato Brasileiro de 2011 tem muitos pontos fortes. Tem craques de carreira consolidada. Tem jovens que despontam como estrelas para o futuro. Tem grandes e emocionantes jogos. Mas não tem algo que sempre teve: revelações. São poucos os jovens que fazem seu primeiro Brasileirão de destaque em 2011.

Entre os melhores jogadores do campeonato, há vários jovens, como Neymar, Lucas, Oscar, Elkeson, Dedé, Fágner, Mário Fernandes, Casemiro, Rômulo, etc… mas todos estes já tinham surgido antes, participado de outros Brasileirões e agora estão apenas consolidando o potencial que já tinham mostrado.

Portanto, são poucos aqueles que surgiram nesta temporada e mostraram talento. E vários deles, na verdade, já tinham disputado pelo menos uma Série B antes de se destacar no Brasileirão 2011, além de já terem uma idade razoavelmente elevada.

É um cenário que não chega preocupar por enquanto, mas que serve de alerta – a repetição disso pode indicar que as limitações do futebol brasileiro, que já são grandes atualmente, podem aumentar.

Mesmo assim, ainda é possível indicar algumas revelações que surgiram recentemente. Veja a lista com os onze melhores jovens que fazem em 2011 seu primeiro Brasileirão de destaque:

11º) Fernandão (Palmeiras) – 24 anos

Fernandão, do Palmeiras
Ele parece ruim, mas é útil

Fernandão começou a carreira tarde e até por isso só agora chegou a um time grande. Veio do Guarani para conseguir algo difícil: firmar-se como centroavante do Palmeiras, algo que muitos tentaram durante o último século, mas praticamente ninguém conseguiu.

Alto, forte e bom finalizador, ele também é um tanto desajeitado e atrapalhado com a bola. Mas costuma dar trabalho para qualquer defesa e por isso Felipão tem o escalado como titular. Seu grande momento foi logo na estreia, com um belo gol no clássico contra o Corinthians.

10º) Élton (Inter) – 21 anos
A pré-temporada colorada trouxe os primeiros indícios de que ele poderia ser uma boa revelação para 2011. Élton começou o ano no Inter B, mas logo chamou atenção, foi promovido e, aos poucos, tem se tornado o verdadeiro substituto de Sandro no time gaúcho.

A concorrência não é fácil. Élton tem que superar o competente Bolatti e ainda tem sofrido com lesões. Mas tudo bem, pois ele mostra que, se isso não acontecer agora, tem tudo para se firmar e ter um bom futuro no clube.

9º) Renan Rocha (Atlético-PR) – 24 anos
A missão dele também não é das mais fáceis: além de substituir Neto, revelado no clube e vendido para a Fiorentina-ITA, Renan Rocha precisa se destacar em uma defesa fraca e em um time desorganizado.

Mas a campanha ruim do Atlético-PR não tem manchado o surgimento desse jovem goleiro, que tem aproveitado bem suas primeiras chances no time.

8º) Wellington Nem (Figueirense) – 19 anos
Na verdade ele pertence ao Fluminense e até se destacou na Copa São Paulo pelo time. Porém, sem chances no time carioca, Wellington aceitou ser emprestado para o Figueirense, em busca de mais oportunidades.

Em seu novo clube, o meia-atacante demorou para se firmar. Mas agora tem formado uma boa dupla ofensiva com Júlio César. Com seis gols marcados, ele tem ajudado na campanha segura do Figueirense no Brasileirão.

7º) Saimon (Grêmio) – 20 anos
É um zagueiro que sempre foi muito elogiado nas categorias de base, mas demorou para ficar pronto para o time profissional. Até chegou a jogar nas edições de 2009 e 2010 do Brasileirão, mas só agora, em 2011, conseguiu uma sequência maior no time.

Seu grande momento no campeonato foi no Gre-Nal do primeiro turno, quando teve que enfrentar Leandro Damião em alta. O jovem conseguiu marcar o centroavante da Seleção, e o Grêmio saiu com a vitória no clássico.

Saimon, do Grêmio
O homem que parou Damião

6º) Muriel (Internacional) – 24 anos
A Série B de 2009 foi a competição em que Muriel começou a despontar, pela Portuguesa. Mas isso não foi suficiente para que o jovem goleiro recebesse chances imediatas no Internacional, que teve problemas na posição, com Renan, Lauro, etc…

Mas em 2011 finalmente Muriel teve uma sequência como titular do Inter e mostrou que tem condições de defender a meta colorada. Com firmeza no gol, ele tem sido um dos melhores do Brasil em sua posição.

5º) Lucas (Botafogo) – 24 anos
Ele foi um dos melhores laterais-direito da Série B de 2010, pelo Figueirense. Isso fez com que o Botafogo reparasse no talento de Lucas e o contratasse. Mas seu futebol simples fez com que ele demorasse para roubar a vaga de Alessandro no time carioca.

Com o tempo, isso aconteceu naturalmente. As qualidades de Lucas, como a boa técnica e os cruzamentos precisos, tornaram-se importantes armas do Botafogo, que costuma dar liberade para seus jovens laterais atacarem. Dessa forma, Lucas se tornou também um dos melhores laterais-direito do Brasileirão.

4º) João Filipe (São Paulo) – 23 anos
Ele chegou ao São Paulo cercado de desconfiança. Afinal, depois de fazer uma boa Série B pelo Figueirense, foi para o Botafogo e não conseguiu virar titular por lá. Porém, ao chegar no time do Morumbi, ele voltou a mostrar um bom futebol.

Alto e firme, ele tem formado uma boa dupla de zaga com Rhodolfo e resolvido, na medida do possível, um problema que ameaçava tirar o São Paulo da disputa pelo título. Tem mostrado que não é apenas um jogador de Série B.

3º) Osvaldo (Ceará) – 24 anos
O que era para ser um time envelhecido ganhou um novo fôlego com Osvaldo. O Ceará evoluiu com a ascensão desse atacante, que tem a velocidade como sua principal arma.

O Ceará ainda tem que lutar contra o rebaixamento, mas Osvaldo já tem a garantia que terá um bom 2012, com evolução na carreira. Afinal, ele tem sido especulado em grandes times, como Santos, Corinthians e Palmeiras.

2º) Willian (Corinthians) – 24 anos
Ele chegou a disputar a artilharia do Brasileirão nas primeiras rodadas e teve tudo para se firmar como a melhor revelação do campeonato. Mas a queda de rendimento do Corinthians o levou para a reserva e agora ele tem aproveitado as poucas chances que têm para voltar a ser titular do time.

É um atacante mais técnico do que habilidoso, que sabe jogar pelas pontas e finalizar bem. Jogou bem em duas Séries B pelo Figueirense, mas só agora tem se destacado em um Brasileirão – marcou cinco gols até agora, acertou bons passes e ainda deve dar mais trabalho na reta final, pois não parece ser do tipo de atacante que amarela.

1º) Bruno Cortês (Botafogo) – 24 anos
A convocação para a Seleção Brasileira era o que faltava para consolidar o lateral-esquerdo como uma das melhores novidades do campeonato. Ele, que chegou discretamente do Nova Iguaçu, mostrou uma personalidade ímpar, além de muita velocidade e habilidade.

Ainda é preciso ter calma com ele, mas, caso mantenha essa humildade que tem marcado seu início de carreira, tem tudo para ir longe. Afinal, ele joga em uma posição carente do futebol brasileiro e tem tudo para voltar à Seleção em breve. E o Botafogo, time no qual ele já se tornou protagonista, tratou de melhorar seu contrato e fazer esforços para segurá-lo no time. Nada mais justo.

Cortês, do Botafogo
Por enquanto ainda é uma cena estranha, mas pode virar comum

Há outros jogadores que podem ser considerados revelações do Brasileirão: Delatorre (Inter), Felipe Anderson (Santos), Lucas Mendes (Coritiba), Fillipe Soutto (Atlético-MG), Lucas Zen (Botafogo), Edenilson (Corinthians), Bernard (Atlético-MG) e Negueba (Flamengo) são alguns deles.

Mas a maioria ainda precisa evoluir demais e só deve se firmar em seus times na temporada que vem. Ou pelo menos é isso que espero, para o bem do futebol brasileiro…

Read Full Post »