Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Alemanha’

É muito mais do que uma Copa do Mundo sem Brasil e Argentina. A Eurocopa, que vai começar nesta sexta-feira, tem seu próprio charme, suas histórias e muita importância. É nela que teremos real noção de como estão as seleções europeias na preparação para a Copa de 2014. E mais do que isso: com certeza veremos grandes craques, boas histórias e jogaços.

Só na primeira fase já é possível criar expectativa para diversos duelos. Seja pelo equilíbrio entre as seleções, pelo alto nível dos jogos ou até por questões históricas, existem partidas que serão imperdíveis nos próximos dias. Veja a lista a seguir e entenda:

7º) República Tcheca x Rússia
Quando: sexta-feira, 8 de junho, às 15h45
É o confronto entre as últimas surpresas da Eurocopa. Não aposto que elas podem repetir as campanhas inesperadas que já fizeram, mas pelo menos uma vai se classificar e esse jogo será importante para definir qual.

Os melhores talentos da seleção russa “surgiram” em 2008, mas não conseguiram se firmar depois. Dessa vez estão até reforçados por talentos como Dzagoev, então devem superar pelo menos a equipe tcheca, que parece envelhecida.

6º) Polônia x Rússia
Quando: terça-feira, 12 de junho, às 15h45
É um jogo recheado de questões históricas, já que a a Rússia sempre esteve envolvida em conflitos que determinaram as partições de território na Polônia.

Como jogam em casa e têm chances de classificação, os poloneses estão especialmente empolgados com essa partida. Há uma geração jovem no time da casa e os russos não podem esperar um time fraco pela frente. Uma vitória da Polônia não será nenhuma surpresa e com certeza renderá muita festa.

5º) Alemanha x Portugal
Quando: sábado, 9 de junho, às 15h45
O Grupo B realmente é da morte, por isso trará confrontos entre grandes equipes. Esse é um jogo que tende a ser desequilibrado, já que a Alemanha é superior em qualidade individual e como grupo, mas há um fator que pode igualar tudo: Cristiano Ronaldo. O português chega como melhor jogador Na Eurocopa para tentar ser o melhor Da Eurocopa.

Mas a missão do craque do Real Madrid não será fácil. Quase sozinho (Nani também é acima da média), terá que brilhar desde o primeiro jogo, que é exatamente contra Alemanha. Portanto, esse duelo já pode decidir previamente quem vai morrer no grupo, que ainda tem Holanda e Dinamarca.

C. Ronaldo não costuma jogar bem por Portugal, mas é melhor não duvidar

C. Ronaldo não costuma jogar bem por Portugal, mas é melhor não duvidar

4º) França x Inglaterra
Quando: segunda-feira, 11 de junho, às 13hs
Apesar de serem seleções tradicionalmente fortes, nem sempre conseguem ter poder de decisão e ainda passaram por crises recentemente. Os franceses até se recuperaram dos problemas na Copa de 2010, mas os ingleses perderam um time inteiro por lesões e ainda trocaram de técnico às vésperas da Eurocopa.

Ainda assim, é um confronto interessante. Seja porque também há uma questão histórica entre os países, seja porque os talentos individuais terão que desequilibrar. Além disso, como o jogo acontecerá na primeira rodada, será fundamental para amenizar ou agravar de vez as crises nas duas seleções.

3º) Espanha x Itália
Quando: domingo, 10 de junho, às 13hs
É outro jogaço que vai acontecer já na primeira rodada da Eurocopa. Em meio a uma turbulência em seu campeonato nacional, a Itália vai tentar superar a atual campeã do mundo. Há um favoritismo evidente para os espanhóis, mas duvidar da Itália nunca é uma boa ideia.

O time de Vicente Del Bosque tem um estilo de jogo consistente, mas parece sempre em formação, por causa do excesso de boas opções e das dúvidas na defesa. Para se aproveitar disso a Itália vai depender de destaques individuais, mas até tem jogadores que podem dar conta do recado, como Pirlo, Marchisio, Giovinco e principalmente Balotelli.

2º) Portugal x Holanda
Quando: domingo, 17 de junho, às 15h45
É claro que, quando pensamos em grande jogos, sempre falamos da qualidade do futebol. Mas Portugal x Holanda na Copa de 2006 foi um jogaço de outra forma. Os times guerrilharam em campo, quebraram o recorde de expulsões em um Mundial e criaram uma rivalidade entre si.

Agora vão se encontrar de novo em uma grande competição e a expectativa é por outro grande jogo. Espero que dessa vez apareça a qualidade do futebol. Mas uma nova guerra, com jogadores com tanta vontade, não seria uma má ideia.

Portugueses e holandeses travarão nova guerra?

Portugueses e holandeses travarão nova guerra?

1º) Holanda x Alemanha
Quando: quarta-feira, 13 de junho, às 15h45
Por uma Espanha esse duelo não foi a final da Copa do Mundo de 2010, o que mostra a força dessas seleções. E o melhor é que elas pouco mudaram durante os últimos dois anos. Os holandeses ficaram um pouco mais fracos, enquanto os alemães estão ligeiramente melhores. Mas nada que atrapalhe o equilíbrio desse jogaço

É uma possível prévia da final, ja que ambas devem sobreviver ao grupo da morte e ir longe na Eurocopa. A Holanda é muito mais eficiente do que encantadora, mas o futebol da Alemanha impressiona. Com jogadas rápidas, bom toque de bola e um elenco de dar inveja, é minha favorita para esse jogo, para a classificação no grupo e até para o título.

Read Full Post »

Apesar da derrota contra a Alemanha ter sido desastrosa, pouca coisa vai mudar de verdade na Seleção Brasileira por causa disso. Mano não vai cair, até porque faltam opções para o seu lugar. E não é uma troca de um ou outro jogador que vai resolver tudo.

Seis da Seleção


Mas há uma mudança que terá que acontecer de qualquer jeito: André Santos vai perder seu status de intocável na lateral-esquerda. A falha no terceiro gol alemão foi digna de pena. Mano não costuma perdoar esse tipo de erro na Seleção e já indicou, após o amistoso, que mudanças devem acontecer

O problema é: quem vai entrar no lugar de André Santos? Veja a lista dos seis possíveis novos donos da camisa 6 da Seleção:

6º) Cortês (Botafogo)
Destaque do Campeonato Carioca pelo Nova Iguaçu, bastou uma grande partida contra o Flamengo para ele já ser cogitado na Seleção. Um exagero dos cariocas, claro.

E é óbvio também que ele não fez apenas um jogo bom. Antes de se contundir, ele já vinha bem e agora voltou com tudo. Tem habilidade, tem raça, tem velocidade, mas é preciso calma. Pode ser só uma fase. É preciso ver se ele é regular. Eu jamais o convocaria neste momento complicado da Seleção. Mas há quem faria essa loucura…

Casamento de Cortês, do Botafogo, no Habibs
Ok, o casamento de Cortês no Habib’s também aumentou seu prestígio

5º) Daniel Alves (Barcelona-ESP)
Por que não improvisar? O Brasil precisa reconhecer que não tem mais esse talento de sobra de outros tempos e por isso talvez seja necessário improvisar mesmo.

Maicon tem ganhado a posição na direita e Dani Alves já fez a lateral-esquerda pela Seleção. E o próprio Mano, depois que fez a última convocação com apenas um jogador de origem na posição, indicou que o lateral do Barça pode ser improvisado. Não é uma solução, mas é uma hipótese.

4º) Adriano (Barcelona-ESP)
Não é um jogador tão brilhante, mas é técnico e seguro. Ou seja, dificilmente faria o erro que André Santos cometeu contra a Alemanha.

Pesa contra ele principalmente o fato de não ser um jogador de velocidade. A Seleção do Mano precisa de alguém que passe rapidamente para jogar com Neymar na esquerda. Adriano não fará isso, mas pode fazer outras funções com um resultado melhor do que foi visto até agora.

3º) Fábio (Manchester United-ING)
Se a ideia realmente é renovar, esse é o nome para esquerda da Seleção. Fábio ainda é muito jovem e só a partir deste ano é que passou a ganhar mais chances no Manchester United. Mas tem muito potencial.

Dificilmente ele vai ser titular do time inglês, já que Evra é um dos melhores do mundo na posição. Mas Fábio pode ganhar ritmo de jogo atuando pela direita, já que é destro, e então se credenciar para a Seleção. Talento ele tem.

2º) Filipe Luís (Atlético de Madri-ESP)

Filipe Luís
Lembra dele?

Quando ainda estava no La Coruña, foi uma das melhores “invenções” de Dunga. Pena que uma contusão gravíssima acabou com as suas chances de disputar a Copa do Mundo de 2010.

Filipe também tem características que podem prejudir o esquema tático da Seleção, principalmente por ser um lateral que sabe marcar mais – uma virtude que na verdade precisa ser exaltada e aproveitada pelo Brasil.

1º) Marcelo (Real Madrid-ESP)
Não fosse o tal e-mail errado para Mano Menezes ele já seria o dono absoluto da posição. Tem futebol para isso. Resta saber se tem vontade…

Não critico o Mano por querer manter Marcelo fora do time. Em qualquer time é difícil lidar com um jogador que não mostra comprometimento. Mas a situação da lateral-esquerda é realmente grave. Uma conversa para resolver isso talvez seja necessária.

Em suma, a conclusão é: fora Marcelo, é difícil achar alguma outra opção convicente para a lateral-esquerda. Todas têm algum problema.

Até por isso é possível que André Santos continue no time, mesmo que como reserva. Só duvido que ele consiga enganar até a Copa de 2014, quando alguns bons jovens da posição, como Alex Sandro (Porto-POR), Diego Renan (Cruzeiro) e Gabriel Silva (Palmeiras) podem se firmar.

Leia também

Read Full Post »

Era abril de 2008. A edição nº 1317 da revista “Placar” trazia um texto de André Rizek sobre o personagem do mês, Ronaldinho Gaúcho. Mas na verdade ele era destaque por não ser destaque. Explico…

Naquele mês, a Seleção Brasileira tinha sido convocada para um amisto contra a Suécia e Ronaldinho não estava na lista. Dunga apresentou uma desculpa para não convocá-lo, todos aceitaram, poucos discutiram. Ali o Gaúcho começava a cair no esquecimento para a Seleção. Ele ainda teve chance na Olimpíada, uma ou outra convocação nos tempos de Milan, mas logo ficou esquecido. “Desencanamos dele”, como dizia o título do texto na “Placar”.

Agora parece acontecer algo parecido com Kaká. Os motivos são diferentes, a história é outra e os jogadores são bem diferentes. Mas fato é que começaram a desencanar do Kaká. Mano ainda não o convocou. Deixou ele de fora da lista para o jogo contra a Alemanha e as razões para isso passaram em branco. Por que? Está certo isso? Temos que desencanar também do Kaká?

Kaká e Ronaldinho Gaúcho

Antes da Copa América, Mano ainda chegou a ser questionado pela não convocação de Kaká. O argumento do técnico era que o próprio jogador ainda não se sentia bem para voltar. Nesta segunda, perguntado de novo sobre o assunto, ele falou, falou e não esclareceu nada, como sempre.

Até quando essa situação ficará assim? Mano já tem deixado de fora da Seleção muitos bons jogadores, como Hernanes, Arouca, Marcelo, Nilmar, Hulk, etc… Desperdiçar também a chance de convocar Kaká é um erro ainda maior. Ele pode ser importante dentro de campo, para dividir funções com Ganso e dar mais velocidade ao time, e também fora de campo, com sua experiência de três Copas do Mundo.

Não há sequer o argumento da condição física de Kaká. Ele “voltou a jogar bem, técnica e fisicamente, no primeiro amistoso de pré-temporada do Real Madrid”, segundo Arnaldo Ribeiro, que concorda comigo sobre essa necessidade da Seleção contar com o meia. Portanto, não há motivo para Kaká ter o mesmo destino de Ronaldinho Gaúcho. Não há razão para desencanar dele.

Read Full Post »

O Werder Bremen ficou pequeno para Mesut Özil. O meia alemão de apenas 21 anos destacou-se demais na Copa do Mundo. Agora o talento da sua ágil perna esquerda é desejado por alguns dos principais times da Europa.

O clube alemão já admitiu que vai aceitar negociá-lo, mas a demora para que algum acerto seja anunciado dá a impressão de que tudo não passa de boatos.

Mas… e se todas propostas especuladas foram feitas de fato? Para qual time Özil deveria ir? Em qual elenco ele se encaixaria melhor? Nas próximas linhas tento ajudá-lo a resolver essa questão…

Arsenal: o time inglês, que tanto gosta de contratar jovens talentos, pensa em trazer o alemão caso Fábregas vá para o Barcelona. Se for assim, tudo bem. Özil não teria problemas para substituir o espanhol.

Barcelona: Com inúmeras opções, ainda é difícil saber como Guardiola vai armar sua equipe para a próxima temporada. Mas com qualquer tática ficará difícil arrumar espaço para Özil jogar, pois sobram meio-campistas de qualidade no time espanhol.

Inter de Milão: A função desempenhada por Sneijder poderia ser feita também po Özil. Como o holandês não vai sair da equipe, só sobrariam duas opções para o jovem alemão: jogar pelos lados do campo, como já fez no passado pelo Werder, ou então torcer para que Rafa Benítez mude a tática que era usada por Mourinho. Difícil…

Manchester United: Özil é a peça que falta nos Red Devils para o time voltar a ser perigoso. Afinal, durante a última temporada, Rooney jogou melhor quando estava isolado no ataque e só faltava um meia para criar melhor e chegar com perigo de trás. Exatamente como Özil fez pela Alemanha na Copa de 2010 e deixou Klose com 4 gols.

Real Madrid: Özil provavelmente chegaria para brigar por vaga com Di María, mas teria que jogar pelos lados do campo, onde o argentino aparenta estar mais acostumado.

RESPOSTA FINAL: O grande negócio para Özil seria ir para o Manchester United. Nos outros clubes ele enfrentaria dificuldades para ser titular ou para jogar na posição ideal. A não ser que Fábregas saia do Arsenal e deixe um espaço vago para ele comandar o meio-campo do time.

Veja também:

Read Full Post »

“A Alemanha é campeã, mesmo terminando em 3º lugar. Foi a equipe que mais empolgou, com um futebol rápido e ofensivo. Surpreendeu os adversários com gols bem trabalhados. Surpreendeu a imprensa esportiva nacional e internacional com um novo jeito de jogar, o verdadeiro ‘joga bonito’, e ganhou o respeito de todos os torcedores do Mundial”.

O parágrafo acima faz parte da edição de julho de 2006 da revista Placar. O texto, não assinado, resumia a participação da Alemanha na Copa do Mundo daquele ano. O curioso é que agora a publicação pode reciclar essa análise e usar na edição de 2010.

Afinal, a Alemanha de 2010 não só ficou na mesma posição de 4 anos atrás como também apresentou um futebol parecido. Sendo assim, trata-se de uma seleção que não evoluiu e decepcionou na Copa da África do Sul, certo? Errado!

Muito pelo contrário: a Alemanha certamente tem muito a comemorar pela Copa de 2010 e é, desde já, a segunda maior favorita para a Copa de 2014, atrás apenas do Brasil. Sobram jovens talentosos e agora experientes para justificarem essa condição futuramente.

Que a Alemanha não se sinta triste pelo 3º lugar conquistado em mais um jogo sensacional da Copa na África do Sul, contra o Uruguai. Para os germânicos, foi a repetição de 2006, é verdade. Mas repetir competência, talento e qualidade é sempre algo que merece ser comemorado.

Müller (à esquerda) foi o Melhor Jovem da Copa de 2010. Podolski recebeu o mesmo prêmio em 2006. E a Alemanha não para de evoluir!
Müller (à esquerda) foi o Melhor Jovem da Copa de 2010. Podolski recebeu o mesmo prêmio em 2006. E a Alemanha não para de evoluir!

Read Full Post »

Eu poderia ter feito o texto abaixo logo após a eliminação do Brasil. No entanto, um pouco por prudência e bastante por falta de tempo, ele só saiu hoje. E agora eu já tenho a resposta para a única pergunta que eu ainda teria na sexta: “Alemanha ou Argentina, quem seria a campeã do mundo por antecipação?”

Sim, pois agora os alemães já podem se considerar tetracampeões. São totalmente favoritos para o título do Mundial na África do Sul. E não faltam argumentos para isso, desde tradição até a própria qualidade apresentada em campo mesmo.

É claro que o futebol é uma caixinha de surpresas, zebras podem acontecer e existem todos esse clichês chatos que precisam ser lembrados. Mas não consigo ver como o apenas raçudo Uruguai, a só eficiente Holanda ou até talentosa, mas lenta e bagunçada taticamente Espanha vão parar a Alemanha. Nem preciso citar o Paraguai, imagino…

O fato é que uma seleção que faz 4 a 1 na Inglaterra e 4 a 0 na Argentina só pode ser campeã. Jovens que mostram personalidade suficiente para brilharem no maior evento do mundo merecem esse título. Uma equipe organizada taticamente e com sobras de qualidade tecnicamente tem que ser reconhecida.

Parabéns, Alemanha! O trabalho que rendeu uma 3ª colocação em 2006 e o vice-campeonato europeu em 2008 rendeu o fruto esperado agora, em 2010. Nada mais justo! Agora só espero a confirmação oficial do título alemão para fazer uma análise mais detalhada e um texto mais próximo do que essa seleção merece. Por enquanto, já ficam os aplausos e a homenagem.

É tetraaaa, É tetraaaa, É tetraaaa...

É tetraaaa, É tetraaaa, É tetraaaa...

Read Full Post »

O que pior poderia acontecer para a Copa do Mundo de 2010 seria um confronto entre Alemanha e Argentina nas quartas de final. Por causa dos erros de arbitragem deste domingo? Jamais! Já quase não acredito mais que a Fifa vá acordar para sanar esse tipo de problema…

Polêmicas à parte, as duas seleções mereceram suas vitórias nas oitavas. O problema é saber que agora certamente uma delas vai ser eliminada tão precocemente. Isso elas não mereciam!

Dia 3 de julho, sábado, às 11 horas da manhã. É pra marcar na agenda! É a data em que Alemanha e Argentina devem fazer uma grande partida na Cidade do Cabo.

Dia 3 de julho, sábado, às 11 horas da manhã. Será o duelo de jovens gerações. Será o confronto de um time mais coletivo contra outro mais individual. Será a reunião de 5 títulos mundiais em campo.

Dia 3 de julho, sábado, às 11 horas da manhã. Que não haja gols mal invalidados ou impedimentos não marcados! Mas que sobrem chutes precisos de fora da área ou contra-ataque mortais!

Dia 3 de julho, sábado, às 11 horas da manhã. Será a disputa tática entre equipes que isolam seus centroavantes no ataque, mas nem por isso são pouco ofensivas. Muito pelo contrário…

Dia 3 de julho, sábado, às 11 horas da manhã. É uma pena, mas uma das melhores seleções da Copa de 2010 será eliminada. Não será uma final antecipada, mas ambas tem condições de estar na decisão. Resta saber qual seleção seguirá na briga por isso.

Dia 3 de julho, sábado, às 11 horas da manhã. Dia de Özil, Müller, Schweinsteiger e companhia? Ou dia de Messi, Tévez, Higuaín e companhia? Eu já marquei na agenda. E você?

Read Full Post »

Infelizmente acabou a divertida e cheia de jogos 1ª fase da Copa do Mundo. Mas felizmente vai começar o mata-mata das oitavas de final. Os confrontos foram definidos de forma interessante e agora é tudo ou nada.

Como escrevi no twitter do blog, poucos jogos das oitavas de final serão tão desequilibrados quanto Brasil x Chile. Talvez Argentina x México. Talvez Holanda x Eslováquia. Talvez!. É isso… mas vamos às análises jogo por jogo:

Uruguai x Coreia do Sul
A Celeste conseguiu se arrumar durante a Copa e me surpreendeu. Admito que não esperava pelo sucesso de Forlán e companhia. Já a classificação sul-coreana foi normal, dentro das limitações de uma equipe asiática que mostrou ter algum talento. É um duelo equilibradíssimo, mas não convém desacreditar na tradição uruguaia novamente. Palpite: Uruguai

Estados Unidos x Gana
A festa norte-americana por uma vitória no “soccer” foi impressionante, uma das melhores cenas da Copa até agora. Mas a força africana é capaz de frear essa empolgação da equipe de Bob Bradley. Com o apoio da torcida e bons jovens talentos, Gana me convenceu que pode ser uma zebra. Palpite: Gana

Argentina x México
Os mexicanos fizeram bonito. Após o jogo contra a França, fiz post aqui, me empolguei e no twitter até mudei aquele velho ditado sobre eles. Mas dessa vez não terá jeito. Até podem jogar como nunca, mas vão perder como sempre. A eliminação virá diante de uma Argentina com cara de campeã. Palpite: Argentina.

Alemanha x Inglaterra
É o grande confronto dessa fase, mas com ressalvas, já que as duas seleções decepcionaram na fase de grupos em algum momento. O English Team pareceu um pouco pior, mas tem mais capacidade de crescer na hora decisiva. Palpite: Inglaterra.

Holanda x Eslováquia
Os eslovacos mostraram ao mundo seus jovens que já vinham se destacando nos clubes da Europa, mas terão que se contentar com isso. O retorno de Robben aos poucos fará da Holanda outro equipe. Até o brilho vai aparecer agora. Palpite: Holanda.

Brasil x Chile
A principal esperança chilena está no banco de reservas: Marcelo Bielsa pode fazer uma de suas loucuras e vencer Dunga de alguma forma. Fora isso, time por time e principalmente pela característica chilena de ir pro ataque, fica difícil não imaginar uma vitória brasileira. Palpite: Brasil.

Paraguai x Japão
Defesa eficiente, mas que precisa ser mais testada. Meio-campo esforçado e só. Jogadores ofensivos que carregam o sucesso da equipe nas costas. Trata-se de uma definição que serve tanto para Japão quanto para Paraguai. Sendo assim, prefiro apostar em Valdez, Barrios e Santa Cruz. Palpite: Paraguai.

Espanha x Portugal
Difícil, difícil… jogo tenso! O favoritismo tende a ser da Espanha, mas Carlos Queiroz tem feito um bom trabalho e pode surpreender. Como a Fúria tem mais condições de evoluir, fica mais fácil apostar nela. De qualquer forma, o fato é que qualquer resultado é cabível aqui. Palpite: Espanha.

Read Full Post »

Alemanha e Inglaterra provaram que eu estava certo em defendê-las há cinco dias atrás, quandos ambas decepcionaram na Copa do Mundo. Apontei que a participação das duas tinha vários problemas, mas elas ainda eram favoritas ao título.

Agora, passados os sufocos da 1ª fase, as duas vão se enfrentar em um dos principais jogos das oitavas de final. Como foi previsto aqui, elas evoluíram e corrigiram alguns dos defeitos que tinham. É óbvio que vão fazer um grande jogo. Mas… quem vai vencer?

Fabio Capello obviamente começou a acertar a escalação inglesa, como comentei no twitter. Heskey e Lennon saíram do time. Milner e Defoe entraram e fizeram a jogada que decidiu a vitória contra a Eslovênia. Mesmo assim, a Inglaterra segue sem convencer. Falta criatividade. Falta Rooney. Falta Lampard.

Já a Alemanha tem mais destaques individuais. Tem Özil. Tem Lahm. Tem Schweinsteiger. Tem Khedira. Tem Müller. Mas é um time quase inteiramente de jovens. Alguns até são experientes, com uma Copa nas costas. Mas ainda assim podem sentir a pressão dos momentos mais agudos.

Só vou arriscar um palpite porque ficar em cima do muro não é o costume deste blog. Aposto na experiência e na evolução da Inglaterra. É uma seleção em alta, que tem melhorado durante a competição e deve seguir nesse ritmo. E o melhor é pensar que a seleção vencedora deste grande duelo ainda deve encarar a Argentina nas quartas de final… obrigado, Copa do Mundo!

Read Full Post »

Alemanha e Inglaterra decepcionaram demais nesta sexta-feira. A Nationalelf até jogou bem, mas perdeu por 1 a 0 para a Sérvia. Já o English Team só empatou sem gols com a Argélia. Com esses resultados, fica fácil apontar os defeitos das duas seleções e prever o apocalipse para elas, que seria a eliminição ainda na 1ª fase.

Difícil é enxergar qualidades, lições e evoluções que essas equipes podem ter agora, podendo finalmente justificar seus favoritismos. São seleções de tradição e por isso prefiro seguir esse caminho. Explico…

Alemanha
Não há hora certa para perder, mas a derrota para a Sérvia não deve trazer consequências graves. Ao contrário, pode ensinar para o jovem time alemão que, caso não entrem concentrados como deveriam, surpresas acontecerão.

A equipe de Joachim Löw tem uma base de jogadores que disputou a Copa de 2006 (Mertesacker, Lahm, Schweinsteiger, Klose e outros), mas o elenco é recheado de jovens talentosos que precisam aprender lições básicas do futebol, ainda mais em uma Copa.

Não dá pra ignorar o talento de Badstuber, Khedira, Özil, Müller e mais alguns reservas. Eles até podem surpreender e brilhar, mas também é normal esperar atuações ruins, já que a maioria pode sentir a pressão. Foi um pouco do que aconteceu contra a Sérvia. Menos pior para a Alemanha, pois poderia acontecer em momentos mais decisivos.

Ou seja, não é 8 nem 80. A Alemanha não é perfeita, como foi contra a Austrália, na 1ª rodada. Mas também não será sempre tão ruim quanto foi contra a Sérvia, jogo do qual deve tirar lições.

Inglaterra
O caso inglês é mais complexo. Fabio Capello tem errado demais (já foi até criticado aqui), mas ele não é um técnico ruim. Longe disso. Aposto que logo vai fazer as mudanças que a Inglaterra precisa. Aliás, elas não são poucas, pois começam no gol e vão até o ataque.

O novo goleiro titular, David James, não é confiável, mas é experiente e pode dar conta do recado. No setor ofensivo da direita, Lennon tem jogado mal e poderia dar lugar a Joe Cole ou até Wright-Phillips. Já no ataque o péssimo Heskey precisa sair.  Crouch e Defoe são possíveis substitutos, mas isolar Rooney e deixá-lo jogar livre, como no Manchester United, também é uma boa opção.

Confio que Capello está de olho em tudo isso. O empate contra a Argélia fará com que ele tome atitudes. Ainda há tempo e talento para salvar a Inglaterra. Como dito antes, é fácil apontar os defeitos. Solucioná-los também não parece tão difícil.

Read Full Post »

Prazer, eu sou um dos principais candidatos ao prêmio de Melhor Jovem da Copa do Mundo de 2010, como já tinha sido previsto aqui. Eu também sou uma das melhores revelações do futebol alemão. E fui o melhor jogador da Alemanha na goleada contra a Austrália. Aliás, isso gerou uma série de falsas verdades sobre minha carreira no twitter e até na transmissão da Rede Globo.

É preciso esclarecer: eu não sou o substituto de Michael Ballack no time titular da Alemanha na Copa do Mundo, como foi dito na TV. Esse papel coube ao Khedira, do Stuttgart. Eu seria titular de qualquer forma, pois conquistei essa vaga com minhas atuações no Mundial Sub-21 de 2009, em que fui campeão, e no Werder Bremen, time que defendo atualmente.

Também não foi eu quem barrou Diego no Werder Bremen, como o portal Globoesporte.com colocou em seu twitter. Nós dois chegamos a atuar juntos e até ganhamos uma Copa da Alemanha. No entanto, quando ele saiu para a Juventus, assumi o papel de principal articulador no meio-campo do time.

Agora algumas “verdades verdadeiras” sobre minha carreira: tenho ascendência turca, apenas 21 anos e comecei no Schalke 04. Logo me destaquei e fui vendido ao Werder por 4 milhões de euros, clube ao qual me adaptei rapidamente, principalmente após um jogo contra o Freiburg, que terminou 6 a 0 – eu fiz um gol e quatro assistências. Conseguimos uma vaga na Liga dos Campeões na última temporada europeia, em que fiz 17 assistências.

Jogo pela seleção alemã desde os 17 anos, nas categorias de base. Entre os profissionais, minha estreia só aconteceu em fevereiro de 2009, após tentativas da federação turca, que queria me naturalizar.

Sou um meia-atacante canhoto de grande habilidade e movimentação. Procuro sempre usar minha criatividade e dar assistências. Essas qualidades já geraram boatos sobre uma possível transferência minha para Arsenal, Bayern de Munique ou variados times italianos.

Fui eu que fiz o passe para o gol de Klose que garantiu a vaga alemã na Copa do Mundo. Quero ter essa mesma participação decisiva em toda a competição. Comecei bem, mas não vou parar por aqui. Prazer, eu sou Mesut Özil e ainda posso dar muito trabalho na África do Sul.

"Quero ouvir todo mundo falar de mim na Copa"
“Quero ouvir todo mundo falar de mim na Copa”

Read Full Post »

A falta de bons goleiros ingleses é um problema antigo da seleção de Fabio Capello, que já testou vários jogadores para a posição. Na estreia da Copa do Mundo, neste sábado, contra os Estados Unidos, o defeito voltou a aparecer: escalado como titular surpreendentemente, Green falhou e mostrou que esse pesadelo pode atrapalhar demais as chances de título da Inglaterra.

Agora é provável que aconteça uma substituição na meta inglesa. David James deve receber uma chance, já que Green vai ficar sem qualquer confiança para atuar. Aliás, isso indica um erro do técnico Capello: ele deveria ter passado mais segurança para algum goleiro inglês.

Não seria uma tarefa fácil. As opções são péssimas de verdade, como mostrou Vitor Birner. Mas o ideal teria sido manter sempre a escalação de um goleiro e bancá-lo no time titular até a Copa. Não foi isso que o treinador da Inglaterra fez e, sem essa confiança, quem entrou só de vez em quando jogou com medo e acabou falhando.

A Alemanha sofreu com um problema parecido na Copa, mas  o técnico Joachim Löw tratou a questão de forma diferente. Deu confiança para René Adler, que crescia de produção quando se contudiu e não pôde ser convocado. Foi azar, mas a questão foi bem trabalhada pelo técnico até então.

Voltando ao time inglês… após ser expulso contra a Ucrânia nas Eliminatórias, Green foi criticado e saiu do time. Aquele seria o momento de Capello bancá-lo e provavelmente a falha da Copa seria evitada.

Agora a Inglaterra tem um problema maior para resolver, que vai além da escalação: os Estados Unidos têm chances reais de se classificar em 1º lugar no grupo C. E boa parte da culpa disso é de Capello!

Read Full Post »

Older Posts »