Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Montillo’

É a negociação mais chata do futebol brasileiro nesse período de transferências: a possível saída de Montillo, do Cruzeiro, para Corinthians ou São Paulo, tem virado aquela novela chata que ninguém mais aguenta acompanhar. É cabível até questionar se o argentino vale todo esse barulho. Mas é preciso também enxergar além do que essa negociação pode significar.

É inegável que o futebol brasileiro tem entrado em uma nova Era recentemente. Com a estabilidade ecônomica do País e eventos como Copa e Olimpíada, os times passaram a receber mais dinheiro, tanto de empresas quanto da Rede Globo. Tudo isso trouxe benefícios para o Brasileirão, que foi ótimo em 2011 e deve ser melhor ainda em 2012. Porém, a longo prazo, há uma consequência preocupante disso tudo.

O que causa temor é a diferença de dinheiro recebido pelos times de Rio de Janeiro e São Paulo. Com a maior concentração de renda nesses estados e a negociação individualizada dos direitos de imagem, atualmente existem oito clubes que têm um orçamento maior do que os outros.

Dessa forma, não é difícil imaginar qual é a tendência do futebol brasileiro: como o dinheiro manda no futebol, logo esses oito clubes, com uma ou outra exceção, dominarão completamente o campeonato nacional.

Mesmo em 2011 a tabela do Brasileirão chegou a refletir isso em alguns momentos. Tanto que os três times mineiros só lutaram contra o rebaixamento. E é nesse ponto que voltamos ao caso Montillo. Explico…

Se o Cruzeiro for incapaz de segurar um jogador do porte de Montillo, o que parece cada vez mais provável, vai dar mais um sinal claro de que o futebol brasileiro deve ficar concentrado no eixo Rio-SP. Não só pelo que o argentino vai fazer em campo. Mas por toda uma questão simbólica, já que os times de outros estados parecem estar sempre um passo atrás. Sobretudo por uma questão financeira mesmo.

Não é o primeiro sinal dessa mudança no Brasil: o próprio Cruzeiro já teve que vender Henrique e Jonathan, antes titulares, para o Santos; o Grêmio perdeu Ronaldinho Gaúcho para o Flamengo; o Vasco tirou Diego Souza do Atlético-MG. E por aí vai…

Claro que ainda é pouco para cravar que o futebol brasileiro será dominado pelos times de Rio e São Paulo. Mas os sinais começam a aparecer lentamente e só não vê quem não quer. Caso isso se concretize, o que seria lamentável, não poderão dizer que não avisei.

Anúncios

Read Full Post »

A atuação de Diego Souza contra o Cruzeiro, neste domingo, fora de casa, foi impressionante. Com três gols, ele manteve o seu time na liderança do Brasileirão 2011 e colocou uma dúvida na cabeça de todos: ele pode ser o craque que vai dar esse título para o Vasco?

A resposta é não. Não pode. A carreira de Diego Souza já mostra que seu principal problema sempre foi a irregularidade. Mesmo em times nos quais jogou muito bem, como Grêmio e Palmeiras, ele teve momentos péssimos. Mas dessa vez ele terá a chance de calar minha boca. Basta que não repita o que fez em 2009. Explico…

O Palmeiras liderava o Brasileirão 2009 com certa folga e tinha um craque no time: Diego Souza. A sua ótima fase chamou a atenção até de Dunga, então técnico da Seleção Brasileira, que o convocou para um jogo das Eliminatórias. Diego jogou pouco, mas foi queimado contra a Bolívia, em La Paz, e nunca mais vestiu a amarelinha. Pior: o meia sentiu o baque e o Palmeiras caiu drasticamente na tabela – não só por esse motivo, claro, mas também por isso.

Dois anos depois, a situação é parecida no Vasco. Convocado com justiça para uma Seleção que só tem jogadores que atuam no Brasil, Diego Souza não pode sentir o baque dessa vez – nem se for bem, muito menos se for mal. A concentração tem que estar no Vasco. Mas ainda duvido que ele consiga fazer isso.

O consolo para os vascaínos é a existência de um time que pode se sustentar sem o brilho de Diego Souza. Há Juninho Pernambucano, há Éder Luis, há Rômulo, há Bernardo, talvez… nenhum deles pode ser o craque do Brasileirão, mas todos têm qualidade para fazer com que o Vasco não dependa tanto de um craque.

É péssimo depender demais de apenas um jogador. Afinal, Conca só existe um. O Cruzeiro, de Montillo, que o diga. O Palmeiras de 2009 também…

Read Full Post »

Quase todos tentaram. Poucos conseguiram. Assim pode ser definido o mercado da bola durante a Copa do Mundo. Afinal, muitas contratações foram feitas, mas poucas realmente reforçarão os times.

Por isso é preciso enaltecer quem conseguiu comprar bem e vaiar quem vacilou e fez maus negócios. Primeiro a lista das 11 melhores contratações durante a pausa para a Copa do Mundo:

1º) Rafael Sóbis (Inter)
É experiente, já jogou final de Copa Libertadores e vestiu a camisa da Seleção Brasileira. Voltou para casa e, mesmo que seu passado recente tenha sido ruim, tem tudo para dar certo no Colorado.

2º) Kléber (Palmeiras)
É outro que voltou ao lugar onde se sente melhor. Parece que nunca vai corrigir seu problema de indisciplina, mas ainda assim é diferenciado para os níveis brasileiros, então pode arrumar o ataque do alviverde paulista.

3º) Diego Souza (Atlético-MG)
Foi um dos principais jogadores do Brasileirão 2009, mas precisa ser mais decisivo se quiser tirar o Galo da zona de rebaixamento e colocá-lo na briga pela ponta da tabela.

4º) Renan (Inter)
É um dos melhores goleiros jovens do Brasil e deve resolver o problema que o Inter já tinha debaixo das traves há anos. Caso isso aconteça, vira candidato a uma vaga na Seleção da copa de 2014.

5º) Émerson (Fluminense)
Chegou desconhecido no Flamengo e conseguiu mostrar qualidade. Agora pode fazer uma dupla perigosa com Fred caso os dois se entrosem e se entendam, já que possuem características semelhantes.

6º) Montillo (Cruzeiro)
É sempre melhor ter cautela e esperar para ver como um “gringo” vai se adaptar ao futebol brasileiro, mas ele mostrou na Universidad do Chile que tem talento demais e características pouco vistas por aqui.

7º) Maicosuel (Botafogo)
O meia fez sucesso em 2009, mas apenas durante o 1º semestre. O torcedor do Glorioso já deveria ter aprendido que isso não é parâmetro. Maicosuel tem qualidade, mas ainda precisa provar muita coisa.

8º) Keirrison (Santos)
É outro que tem talento, mas só conseguiu sucesso de verdade em time mediano ou contra equipes pequenas. Se chegar com mais vontade de jogar do que quando estava no Palmeiras, pode render.

9º) Corrêa (Flamengo)
Pode não dar certo em meio ao tormento vivido pelo Rubro-Negro no momento, mas mostrou no Atlético-MG que ainda tem qualidade no passe e na bola parada. Não será decisivo, mas pode ser útil.

10º) Valencia (Fluminense)
É aquele típico volante marcador, mas esse marca como poucos. Sempre mostrou que sabia fazer isso no Atlético-PR e deve ganhar a vaga de titular no Flu ao longo do tempo.

11º) Éder Luis (Vasco)
Até agora só deu certo no Atlético-MG e ainda assim com ressalvas, pois nunca foi realmente decisivo. Até pode ajudar o Vasco na luta contra o rebaixamento, mas está longe de ser a peça-chave para isso.

Inter e Fluminense foram provavelmente os times que melhor se reforçaram durante a Copa do Mundo. A equipe carioca ainda acertou com Belletti, veterano, mas ainda útil , e pode anunciar o ótimo Deco a qualquer momento.

Outras boas contratações foram as apostas nos jovens Walysson (Cruzeiro), Leonardo (Inter), Tinga (Palmeiras), Mithyuê (Atlético-PR) e Jóbson (Botafogo).

Read Full Post »