Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Ricardo Silva’

O Brasileirão 2010 segue com uma incrível média de quase uma mudança de técnico por rodada. Marcelo Rospide, ex-Grêmio-SP, foi o último demitido – nem deveria ter sido contratado, claro. Agora o Flamengo tem indicado que Silas pode ser a próxima vítima dessa situação alarmante, na qual todos treinadores parecem interinos em seus cargos.

Elaborei uma lista das piores trocas de técnicos que aconteceram durante o Brasileirão. Não foi fácil, pois as opções negativas eram muitas. Pensei em usar o aproveitamento de pontos com cada técnico para fazer isso, mas creio que estatísticas são insuficientes para isso. É preciso levar em conta questões complexas dos contextos de cada caso. Com esses critérios e essas análises, fiz a lista abaixo:

11º) São Paulo – saiu Ricardo Gomes. Sérgio Baresi assumiu interinamente.
Realmente o time precisava muito de uma mudança de técnico, mas era algo que precisava ter sido melhor pensado. Baresi tem trazido novidades interessantes para o São Paulo, principalmente na revelação de jogadores, mas claramente ele não está pronto para ficar no cargo. E o pior: o Tricolor Paulista perdeu a chance de contratar Dorival Júnior.

10º) Vasco – saiu Celso Roth. PC Gusmão assumiu.
O time carioca não poderia ter perdido o técnico que depois virou campeão da Copa Libertadores. É claro que o trabalho de PC Gusmão também tem dado algum resultado, mas a equipe segue lutando contra o rebaixamento, sendo que poderia estar em uma situação melhor.

9º) Flamengo – Rogério Lourenço. Silas assumiu.
A crise enfrenta pelo Rubro-Negro atualmente é resultado de uma troca que foi justificada da pior maneira possível: Zico deixou claro que só fez isso por causa da torcida. Ora, se ele vai deixar os flamenguistas comandarem o time dessa maneira, é melhor pedir demissão e entregar seu cargo de uma vez.

8º) Vasco – Gaúcho saiu. Celso Roth assumiu.
É claro que Gaúcho não era o nome certo para comandar o Vasco no Brasileirão, mas os erros aqui foram outros: em primeiro lugar, o elenco do Vasco era muito fraco no começo da competição e não houve tempo para que os reforços estreassem sob o comando de Gaúcho. E a própria sucessão também foi um erro, como já comentado acima.

7º) Goiás – Leão saiu. Jorginho assumiu.
Difícil é saber o que foi pior: ter dado a chance para que Leão ficasse no cargo por tanto tempo ou contratar um técnico ainda inexperiente para consertar toda a bagunça que foi deixada. Jorginho chegou há pouco tempo e até conseguiu alguns poucos bons resultados, mas não deve fazer o time escapar do rebaixamento.

6º) Ceará – PC Gusmão saiu. Estevam Soares assumiu.
Aqui os resultados são implacáveis: com um técnico, o time estava organizado defensivamente e até estava no alto da tabela. Com outro treinador, já era esperada uma queda de rendimento, mas Estevam desorganizou o time, que já virou candidato ao rebaixamento novamente.

5º) Atlético-GO – Geninho saiu. Roberto Fernandes assumiu.

O time de Goiás tentou aproveitar a pausa para a Copa do Mundo e mudou seu treinador, mas rapidamente teve que admitir que fez a escolha errada: Roberto Fernandes ficou no cargo apenas por quatro rodadas, fazendo o time desperdiçar um bom período que teve para treinamentos.

4º) Grêmio-SP – Toninho Cecílio saiu. Antônio Carlos Zago assumiu.

Não era hora para uma aposta. E Zago por enquanto é apenas só isso. O time de Presidente Prudente errou demais ao substituir um técnico que, se não era o ideal, pelo menos estava conseguindo surpreender. Com a reposição mal feita, a entrada na zona do rebaixamento foi uma questão de tempo.

3º) Ceará – Estevam Soares saiu. Mário Sérgio assumiu.
Se tudo já tinha ficado ruim com a saída de PC Gusmão, imagine quando chegou um técnico que há anos só tem acumulado trabalhos ruins. Ele quis fazer uma grande reformulação no elenco, mas durou apenas um mês no cargo e só piorou a situação do Ceará.

2º) Grêmio-SP – Antônio Carlos Zago saiu. Marcelo Rospide assumiu.
Aqui é necessária a utilização dos números: 15 pontos foram disputados desde que essa mudança foi efetuada no time prudentino,  mas nenhum foi conquistado. Após cinco derrotas seguidas, Rospide pediu demissão e provou que nem deveria ter sido contratado.

1º) Vitória – Ricardo Silva saiu. Toninho Cecílio assumiu.
Não havia um motivo para a demissão de Ricardo Silva, que tinha levado o time à final da Copa do Brasil. Mesmo assim, a troca aconteceu e só serviu para piorar a situação do time baiano na tabela, com crises e derrotas vexatórias. Após 9 rodadas, Toninho foi demitido e a diretoria do Vitória admitiu seu erro ao voltar com Ricardo Silva no comando da equipe.

É claro que existem casos nos quais o resultado foi inverso: um novo técnico chegou e mudou para melhor a situação do time. Foi assim com Carpegiani no Atlético-PR, e com Renato Gaúcho no Grêmio, só para citar dois exemplos. Mas a cautela nesse tipo de decisão deve sempre prevalecer. O que não tem ocorrido de maneira nenhuma no Brasileirão 2010 ultimamente.

Que não só o Flamengo siga esse receita, mas Ceará, Santos, São Paulo e Avaí também tomem cuidado. Todos estão sem técnicos efetivados no momento e podem se complicar com essa importante decisão. Quem vai querer engrossar a lista acima?

Read Full Post »

O ORGULHO DA TORCIDA

São Paulo – Mesmo sem um futebol tão convincente, conseguiu uma vitória no clássico contra o Palmeiras e afastou uma crise que parecia voltar.

A PIADA DOS ADVERSÁRIOS

Atlético-MG – Teve um jogador a mais que o Vitória desde a metade do primeiro tempo, quando perdia por 2 a 0. Até conseguiu empatar, mas sofreu um gol depois e pagou mico em casa.

TROFÉU HERÓI

Rodriguinho – Fez dois gols contra o Flamengo e evitou que o Fluminense perdesse um clássico no dia que perdeu a liderança do Brasileirão para o Corinthians. Sem ele, os problemas do Tricolor Carioca seriam ainda maiores.

TROFÉU VILÃO

Harlei – Sofreu um frango e, apesar do Goiás ter empatado o jogo, seu erro foi cruel para um time que precisava demais da vitória contra o Ceará.

DESTAQUE PARA O JOVEM

Marcelinho, o agora chamado Lucas – Impressionou a forma como ele chamou a responsabilidade no 2º tempo do clássico entre São Paulo e Palmeiras, fazendo um gol e uma assistência.

Tiro o chapéu para ele. Só não me peçam para me acostumar rapidamente com essa sua boba mudança de nome.

VALEU O INGRESSO

Elias – A tabela perfeita dentro da área, com direito a um passe de calcanhar, foi perfeito e com certeza é um lance raro de se ver. Por isso foi o escolhido.

Mas sobraram golaços como poucas vezes nesse Brasileirão: Renato Abreu, Daniel Carvalho, Rodriguinho, Jonas, Alessandro, Montillo e Wellington Monteiro fizeram bonitas pinturas em campo.

UM SHOW EM 90 MINUTOS

Flamengo 3 x 3 Fluminense – O grande clássico do Rio de Janeiro foi cheio de gols e  emoção, como costuma acontecer nos Fla-Flus.

Ficaram evidentes os problemas defensivos dos dois times, mas o importante é que isso porporcionou um belo espetáculo no Engenhão.

TÉDIO EM 90 MINUTOS

Guarani 0 x 0 Santos – Não foi um jogo com grandes oportunidades de gol e o pior é que o resultado não foi bom para nenhuma das equipes.

DETALHE TÁTICO

3-5-2 do Avaí – Antônio Lopes testou essa tática nos dois últimos jogos do time, saindo com um empate fraco contra o Vitória e uma derrota terrível, em casa, contra o Grêmio.

É melhor o Delegado repensar essa mudança.

DETALHE DO TÉCNICO

Ricardo Silva – Teve coragem de manter o Vitória em campo com um centroavante e fez bem ao trocar Júnior por Schwenck, que deu a assistência para o gol decisivo de Henrique na vitória por 3 a 2 contra o Galo.

O FUTEBOL É INJUSTO

Vasco merecia mais – O Inter até foi bem ao resistir à pressão do adversário, mas a verdade é que o time carioca jogou melhor e poderia tranquilamente ter voltado com pontos de Porto Alegre.

O FUTEBOL É UMA CAIXINHA DE SURPRESAS

Grêmio – Após vacilar em casa, não dava para imaginar que o time gaúcho reagiria tão bem. Pois bateu o Avaí por 3 a 0 em plena Ressacada, mostrou um futebol bonito e ressurgiu no Brasileirão.

PAPO RETO

Atlético-GO e Grêmio-SP,

Vocês já estão rebaixados.

É incrível como, mesmo tão cedo, está cada vez mais claro o quanto vocês são inferiores aos outros times do Brasileirão. Tomem cuidados apenas para não passarem tanta vergonha. A Série B de 2011 os espera!

ACRÉSCIMOS

Felipão e Luxemburgo – É curioso notar como esses dois técnicos, que até outro dia eram os melhores do Brasil, têm errado constantemente.

O técnico do Palmeiras inventou Márcio Araújo como ala-direito no jogo contra o São Paulo. Já Luxa tentou jogar com Diego Tardelli e Obina, dois centroavantes. É claro que nada disso deu certo.

Read Full Post »

O ORGULHO DA TORCIDA

Fluminense – O Cruzeiro merecia pelo menos o empate, mas fato é que o Tricolor do Rio soube se defender e assumiu a liderança do Brasileirão 2010.

A PIADA DOS ADVERSÁRIOS

Atlético-MG – Após a derrota em casa para o Inter, a impressão é que nem as várias contratações feitas durante a Copa vão resolver e o time deve ficar mesmo no meio da tabela.

TROFÉU HERÓI

Márcio – Enfrentou um Chicão que estava sem segurança nenhuma para bater o pênalti. Defendeu a cobrança e empolgou o Atlético-GO para definir de vez a vitória contra o ex-líder Corinthians, com boa atuação de Pedro Paulo.

TROFÉU VILÃO

Leão – Técnicos não costumam aparecer nessa categoria, mas dessa vez é justo. Leão começou toda a confusão com a imprensa em Salvador e mostrou que não tem mais condições de ser treinador.

DESTAQUE PARA O JOVEM

Jóbson – Foi titular no ataque do Botafogo e brilhou contra o Palmeiras de novo.

Só fica a ressalva por ter sido expulso no final do jogo por causa de uma provocação desnecessária.

VALEU O INGRESSO

Ernandes – Foi uma rodada cheia de golaços, mas o do lateral-esquerdo do Ceará impressionou. Ele deixou um adversário no chão antes de acertar um forte chute contra a meta do Guarani.

Pedro Paulo, Jonas e Marcos Assunção também fizeram belos gols.

UM SHOW EM 90 MINUTOS

Atlético-MG 1 x 2 Inter – Minutos antes do jogo começar, avisei no twitter que a expectativa para esse jogo era boa. E a partida correspondeu. Com duelos táticos interessantes e emoção de sobra, dois dos times que mais contrataram durante a Copa duelaram com técnica e disposição. Foi bonito de ver!

TÉDIO EM 90 MINUTOS

Grêmio 1 x 1 Vasco – São times que estão na zona do rebaixamento atualmente e ainda foram atrapalhados pela forte chuva em Porto Alegre.

DETALHE TÁTICO

4-2-3-1 do Inter – A tática do Colorado foi tão interessante que rendeu mais do que poucas linhas aqui. Virou um post. Clique aqui para entender.

DETALHE DO TÉCNICO

Ricardo Silva – O técnico do Vitória apostou na dupla de ataque formada por Elkeson e Junior, mas tirou o primeiro para colocar Soares durante o 2º tempo.

O reserva nem entrou tão bem, mas fez o gol que empatou o jogo em 2 a 2 e salvou o time baiano de uma derrota em casa para o Goiás.

O FUTEBOL É INJUSTO

Grêmio prejudicado – No final do jogo contra o Vasco, Borges driblou Fernando Prass e chutou a bola, que iria para o gol se não fosse o toque de mão do zagueiro Titi.

Era o lance que provavelmente decidiria a partida, mas o péssimo Héber Roberto Lopes não viu o pênalti.

O FUTEBOL É UMA CAIXINHA DE SURPRESAS

Grêmio-SP – Por pior que esteja a crise do São Paulo não é normal o time de Prudente ir ao Morumbi e arrancar um empate que quase virou vitória. Ricardo Gomes, se continuar como técnico, vai ter muito trabalho pela frente.

PAPO RETO

Santos e Vitória,

E a final da Copa do Brasil?

Vocês não voltaram nada bem depois da pausa para a Copa do Mundo, mas terão uma decisão pra fazer na próxima semana.Peixe, vai sofrer até quando sem concentração e sem um goleiro decente? Vitória, com os novos reforços, qual é o seu time ideal?

Difícil é imaginar quem vai ser menos pior na decisão…

ACRÉSCIMOS

Bola aérea do São Paulo – Uma jogada que até outro dia era uma arma fundamental para o Tricolor Paulista agora virou o ponto fraco na defesa do time. Mas não é difícil explicar as razões disso ter acontecido. Concorda, Ricardo Gomes?

Read Full Post »

O acordo entre Andrade e Flamengo durante a semana acabou com a dança das cadeiras entre os técnicos dos principais clubes brasileiros. Agora chegou a hora de avaliar quem fez a escolha certa e como será o início de temporada para os times que resolvar mudar de comando na virada de ano.

Atlético-MG com Vanderlei Luxemburgo
Luxa já deixou de ser garantia de sucesso há muito tempo, então precisa ser visto com desconfiança. O time tem uma base consistente e que deve ser mantida. Além disso, alguns reforços já foram anunciados e podem completar bem o elenco. Ou seja, não fosse a desconfiança em cima do trabalho de seu novo técnico, o Galo teria tudo pra fazer de 2010 um ano ainda melhor que o de 2009, que não foi ruim.

Avaí com Péricles Chamusca
A campanha surpreendente de 2009 tem que ser esquecida, pois o time será desmanchado e uma reformulação completa precisa ser feita. Agora o importante é que o técnico participe dessa reconstrução, para que ela seja organizada e eficiente. Chamusca deve fazer isso, mas sua passagem recente pelo Sport desanima os torcedores catarinenses.

Barueri com Vinícius Eutrópio
O treinador tem pouca experiência e foi muito mal quando assumiu o Fluminense em meio a uma grande crise em 2009. Agora terá que começar do zero, pois o time foi desfeito e os principais talentos saíram do clube, desde Renê a Fernandinho.

Grêmio com Silas
Talvez fosse cedo demais para apostar em um técnico tão novo, mas ele fez por merecer sua chance e agora tem um grande desafio pela frente: curar a ressaca do tricolor gaúcho, que teve um ano para ser esquecido. Para isso, pelo que tem sido especulado, ele vai precisar recuperar alguns jogadores que têm qualidades, mas precisam reencontrar o melhor futebol, como Borges e Hugo, ambos ex-São Paulo. A pressão vai ser enorme e veremos se o Silas vai resistir.

Inter com Jorge Fossati
O acerto com o uruguaio foi uma ótima contratação do Colorado. O foco do time está voltado para a Copa Libertadores e dificilmente o técnico terá problemas de adaptação ao Brasil, o que leva a crer em uma grande campanha. O elenco já é qualificado, mas precisa de algumas reposições para realmente assumir a condição de time brasileiro favorito na competição sul-americana, que está bem próxima do Inter.

Santos com Dorival Jr.
O técnico tem feito bons trabalhos, mas ainda precisa se firmar de verdade e a chance no Peixe é importante nesse sentido. Ele costuma usar o 4-3-1-2 e seria interessante que chegassem os jogadores ideiais para esse esquema ser posto em prática. Dorival conta com a boa vontade da nova diretoria, que chega para mostrar serviço e acabar com o fantasma de Marcelo Teixeira no clube.

Vasco com Vágner Mancini
É outro técnico que costuma usar um mesmo esquema tático, o 4-2-3-1. A diferença é que no Vasco já existem alguns jogadores que podem funcionar bem dessa forma. A diretoria não se contentou com o time da Série B e tem contratado bastante desde já. Nem todos jogadores recém-chegados possuem grandes qualidades, mas Mancini terá bastante opções para finalmente emplacar um trabalho mais longo e duradouro na carreira.

Vitória com Ricardo Silva
O time já está apostando em um técnico de pouca experiência, que era coordenador até outro dia. Então não pode simplesmente arriscar na hora de fazer contratações, com jogadores medianos. Se não souber aproveitar bem o mercado, o time baiano não conseguirá repetir as últimas temporadas e correrá sério risco de rebaixamento.

Read Full Post »