Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘LEandro Euzébio’

Acabei de comprar o Guia do Campeonato Brasileiro de 2022. Cheguei em casa, comecei a ler, mas logo meu filho e seus amigos me cercaram. Disputaram para ver as página dos seus times, mas eu queria ver os arquivos e as estatísticas, como sempre fiz. Demorou mais de 20 minutos para isso, mas consegui. E no fim eles também se interessaram – queriam saber detalhes dos antigos campeões…

Contei a eles o que minha memória permitiu. Comecei pelo histórico Flamengo campeão de 1992, passei pelo bicampeonato do Palmeiras-Parmalat e destaquei o Túlio no título do Botafogo em 1995, sem citar as polêmicas, para não desencantar os meninos.

Em 96, lembrei da pequena gigante Portuguesa, apesar do título do Grêmio. Em 97, impossível não destacar Edmundo na conquista do Vasco. E logo veio o bi do Corinthians, com questionáveis parcerias, mas inquestionável qualidade.

Expliquei que a partir de 2000 era melhor esquecer de alguns campeões. Chamei atenção para o Santos de 2002 e 2004, com os novos Meninos da Vila; e também para o Cruzeiro de 2003, de Alex, Luxemburgo e companhia. Mas logo veio o polêmico título corintiano em 2005 e as pouco encantadoras conquistas do São Paulo em 2006, 2007 e 2008.

Em 2009 falei de Adriano e Petkovic. Em 2010 lembrei de Conca. Mas em 2011 não tinha um destaque individual, só um forte conjunto corintiano, que depois seria campeão da Libertadores. Quis continuar, mas travei em 2012.

“Por que, pai? Como você lembra de todos de antes e esquece desse? Não faz nem 10 anos”, me lembrou meu filho, esperto e bom em matemática – “deve ter puxado para a mãe”, pensei, antes de continuar me esforçando para lembrar do Fluminense campeão de 2012.

“Primeiro é preciso lembrar da Unimed. Eles tinham uma parceria que trazia muito dinheiro para o clube”, comecei. “Mas então eles tinham vários craques, como o Palmeiras de 93-94 ou o Corinthians de 98-99?”, perguntaram.

Fluminense campeão/ Fernando Borges/ Terra

“Time de guerreiros”

“Não, o Fluminense não tinha grandes craques. Tinha jogadores muito bons, como Fred, Thiago Neves, Jean e Diego Cavalieri”, comentei em vão – nenhum deles brilhou pela Seleção Brasileira ou na Europa, então os meninos pouco sabiam quem eram. Só conheciam Wellington Nem, que ainda joga até hoje, apesar de ter perdido o que era seu ponto forte, a velocidade.

Eles continuavam sem entender nada. Apelei para a defesa, disse que o time tomava poucos gols. Mas meu argumento caiu quando disse que os zagueiros eram  os esforçados Gum e Leandro Euzébio. Diego Cavalieri fez defesas incríveis, mas os meninos eram novos demais para acreditar em milagres.

Estava cada vez mais difícil. Citei Abel Braga e isso ajudou, já que ele tinha grande currículo e foi importante para a tática do time. Mas era exigir demais o entendimento de como funcionou o 4-2-3-1 do Fluminense naquela época.

Então desisti. Parti para o Campeonato Brasileiro de 2013, era mais fácil – eles eram fãs do Neymar e rapidamente entenderam como o Santos foi campeão naquele ano.

Mas fiquei com aquela dúvida na cabeça. “Como o Fluminense foi campeão em 2012?”. Foi preciso refletir um pouco mais para entender: não há apenas um motivo que explique. É uma conjunção de fatores e foi isso que fez o título tricolor ser tão justo naquela temporada.

Anúncios

Read Full Post »

O Fluminense não é “tantas vezes campeão” quanto Lamartine Babo declarou no hino tricolor. Porém, está próximo de colocar mais um título em sua história. O time de Abel Braga assumiu a liderança do Campeonato Brasileiro nesta quinta-feira e, mais importante do que isso, tem provado que pode se manter nessa posição até o fim. E aqui não cabe nenhuma acusação de oportunismo, pois há diversos motivos para justificar o favoritismo tricolor. Explico…

É desnecessário elogiar o elenco do Fluminense. Sobram opções de qualidade e a maioria delas está do meio-campo para frente: Thiago Neves, Deco, Wagner, Wellington Nem, Rafael Sóbis, Fred, etc…

Pois está exatamente aí o grande segredo do trabalho de Abel Braga: especialista em montar defesas, ele fortaleceu o que seria o ponto fraco do Fluminense. Agora o time é o menos vazado do Campeonato, com apenas 15 gols sofridos em 22 jogos disputados até agora. E vale destacar: não há grandes zagueiros no elenco, apenas Leandro Euzébio, Gum e Anderson – jogadores de qualidade mediana que têm se esforçado demais.

Gum e Wellington Nem/ Foto: Mauro Pimentel/ Terra

Experiência e juventude estão bem misturadas no Fluminense

Além disso, a aposta na experiência é outro detalhe importante do elenco do Fluminense. Em todas posições há pelo menos um jogador bastante rodado e que sabe o caminho dos títulos. Isso tem mantido o grupo focado e unido, claramente disposto a tudo para ser campeão mais uma vez. É possível enxergar ainda o embrião da equipe que quase foi rebaixada em 2009 e depois virou campeã brasileira em 2010.

Mas se for preciso juventude e fôlego renovado para buscar o título, o Fluminense também possui elenco para isso. Liderados por Wellington Nem, diversos jogadores das categorias de base têm conseguido espaço. Nesta quinta-feira, contra o Santos, foi a vez do centroavante Samuel brilhar. Mas há ainda Wallace, Fábio Braga, Matheus Carvalho, Marcos Jr e outros. A produção de talentos em Xerém sempre reforçou de verdade o elenco principal e dessa vez não será diferente.

Mas é evidente que o Fluminense não é um time perfeito. Ainda sofre com carência em algumas posições, nem sempre é criativo no meio-campo e demonstra irregularidade dentro de uma mesma partida. Mas a falta de concorrentes pelo título deve compensar isso: o Atlético-MG vai sofrer para lidar com a pressão de voltar a ser campeão; o Grêmio não tem uma defesa forte suficiente para ser campeão e sequer um técnico capaz de corrigir isso; e São Paulo, Internacional, Botafogo ou Cruzeiro teriam que conseguir uma arrancada improvável para alcançá-lo.

Portanto não faltam motivos para apontar o Fluminense como favorito absoluto ao título do Campeonato Brasileiro. Não é oportunismo. Na verdade é uma oportunidade bem aproveitada.

Read Full Post »

Em primeiro lugar, preciso pedir desculpas pela falta de atualização do blog recentemente. Tem faltado tempo para mim por questões profissionais. Porém, com o feriado, essa situação será acertada e os posts voltarão ainda melhores. Agora falemos do Brasileirão 2010…

O ORGULHO DA TORCIDA

Grêmio – Conseguiu arrancar uma vitória magra contra o Guarani, por 1 a 0, e finalmente deixou a zona do rebaixamento, comprovando sua esperada evolução após a chegada de Renato Gaúcho ao comando do time.

A PIADA DOS ADVERSÁRIOS

Goiás – Em casa, perdeu de virada para o Atlético-MG e comprovou que o técnico Jorginho terá muito trabalho pela frente. Pior: ele não é homem certo para dar conta desse trabalho.

TROFÉU HERÓI

Neymar – Abriu o placar do jogo contra o Avaí aos 50 segundos, deu muito trabalho em campo e parece estar mais motivado desde que resolveu o imbróglio com o Chelsea.

TROFÉU VILÃO

Leandro Euzébio –
Ficou nervoso com as provocações de Kleber e foi expulso no final do jogo contra o Palmeiras, exatamente quando Ewerthon fez um gol e evitou a vitória do Fluminense.

DESTAQUE PARA O JOVEM

Xandão – É um zagueiro que finalmente tem mostrado alguma qualidade com a sequência de jogos pelo São Paulo, depois da lesão de alex Silva. Contra o Atlético-GO, ele fez um gol e foi seguro na marcação.

VALEU O INGRESSO

Válber – Aplicou um belo corte dentro da área e finalizou com perfeição, marcando o gol de honra do Avaí contra o Santos.

UM SHOW EM 90 MINUTOS

Fluminense 1 x 1 Palmeiras – O péssimo recuo que o Tricolor carioca fez após marcar o primeiro gol animou o jogo. O time de Felipão foi para cima, atacou bem e até deu algum espaço para contra-ataques. O gol no final acrescentou mais emoção a uma partida razoável tecnicamente.

TÉDIO EM 90 MINUTOS

Vitória 0 x 0 Inter – Os times não conseguiram balançar as redes e só exibiram seus problemas e limitações para criar jogadas e chances de gol.

DETALHE TÁTICO

Palmeiras com 3 zagueiros – É verdade que o time tem evoluído desde que Felipão implantou o 3-5-2, mas, durante os jogos, o técnico tem tido que tirar um zagueiro e colocar um atacante para melhor o poder de fogo da equipe.

Será que então não é o caso de mudar para o 4-4-2?

DETALHE DO TÉCNICO

Vanderlei Luxemburgo – O técnico do Atlético-MG finalmente acertou uma.

Colocou alguns medalhões no banco de reservas e soube utilizá-los durante o jogo. Por exemplo, quando colocou Diego Souza no lugar de Neto Berola. O meia ex-Palmeiras acabou fazendo o gol da virada contra o Goiás.

O FUTEBOL É INJUSTO

Avaí merecia mais – A vitória do Santos por 2 a 1 não foi justa. O time catarinense chegou a pressionar fortemente o Peixe, mas não conseguiu fazer os gols que merecia.

O FUTEBOL É UMA CAIXINHA DE SURPRESAS

Atlético-MG – O Goiás realmente está em péssima situação, mas a crise no Galo não é muito menor, então eu não esperava que o time mineiro fosse regiar e vencer no Serra Dourada. Foi realmente surpreendente e interessante a vitória do Atlético-MG.

PAPO RETO

Fluminense,

Você ainda não me convenceu.

É um time organizado e cheio de jogadores talentosos, mas para mim ainda não é esse favorito absoluto ao título como alguns enxergam. Precisa evoluir se quiser continuar na ponta da tabela do Brasileirão durante o 2º turno.

ACRÉSCIMOS

Dagoberto – Foi curioso ver que o herói da vitória são paulina contra o Atlético-GO era um dos jogadores mais criticados do time recentemente.

Trata-se de um atacante limitado e irregular demais, mas que ainda pode ser útil para o elenco se jogar com a mesma vontade e superação apresentadas nesta quinta-feira.

Read Full Post »

Em negrito – o jogador e o time que pretende contratá-lo
Em itálico – a posição e o time atual do atleta

A fonte do boato está linkada no nome do jogador

DEMOROU!

Avaí – Mineiro (V-Schalke 04) – Entrou em forma novamente na Alemanha e pode voltar a ser o grande volante de outros tempos.

Atlético-MG – Rodrigo (Z-São Paulo) – O time precisa mesmo de um zagueiro mais experiente para compôr melhor a defesa para a temporada de 2010.

Palmeiras – Alex Silva (Z-Hamburgo) – Novamente sob comando de Muricy Ramalho, elevaria de vez a defesa alviverde para outro patamar. Talvez seria a melhor do Brasil.

TANTO FAZ…

Botafogo – Fellype Gabriel (M-Portuguesa) – É preciso esperar, pois jogar bem na 1ª divisão é diferente de brilhar na Série B. Mas pode dar certo sim.

Corinthians – Sidnei (Z-Benfica) – Não chegaria pra ser titular, mas pode ser uma boa aposta para o futuro.

Flamengo – Germano (V-Santos) – Não dá pra esperar que ele seja titular e substitua o Aírton imediatamente, mas pode completar bem o elenco.

Palmeiras – Douglas (M-Al Wasl) – Tem qualidade realmente, mas o seu estilo não costuma agradar rapidamente a torcida, que ainda teria preconceito por seu passado corintiano recente.

Vasco – Tartá
(A-Fluminense) – O time precisa de mais atacantes de velocidade, mas Tartá ainda é só uma promessa que precisa evoluir.

Vasco – Vagner Love (A-Palmeiras) – Se quiser jogar bola, ótimo. Se quiser aproveitar a noite carioca, o prejuízo pode ser enorme.

CAI FORA!

Avaí – Sávio (M-sem clube) – É arriscar demais em um momento que o time precisa de escolhas mais precisas.

Atlético-MG – Adaílton (Z-Santos) – Não é melhor sequer do que as opções já existentes no elenco do Galo.

Atlético-MG – Obina (A-Palmeiras) – O time nem precisa de centroavantes, muito menos de alguém com tanta limitações.

Cruzeiro – Moacir (V-Sport) – A versatilidade não compensa a falta de técnica.

Fluminense – Leandro Euzébio (Z-Goiás) – O time até precisa de um beque mais experiente, mas está bem servido de garotos e, sem pressa, pode trazer um jogador com mais qualidade para a posição.

Inter – Douglas da Silva (Z-Hapoel Tel Aviv) – A passagem dele pelo futebol brasileiro foi fraca e o Colorado nem precisa tanto de um zagueiro.

Santos – Fernando (V-Goiás) – Já mostrou toda sua falta de qualidade quando jogou por um time grande, pois não foi bem pelo São Paulo em 2007.

Vasco – Lenílson (M-Jaguares) – O time precisa de um meia, mas não de confusão e problemas extra-campo.

NÃO ENXERGAM?

Ewerthon (A-Zaragoza) – O centroavante ex-Corinthians é bom jogador, mas está em uma situação complicada no futebol espanhol e já deve estar com vontade de voltar ao Brasil.

Read Full Post »

Dizem por aí...

Em negrito – o jogador e o time que pretende contratá-lo
Em itálico – a posição e o time atual do atleta

A fonte do boato está linkada no nome do jogador

DEMOROU!

Atlético-MG – Andrezinho (M-Inter) – O meia está um tanto esquecido entre os bons jogadores do Colorado e seria uma grande ideia dar mais espaço para ele mostrar seu bom futebol.

Botafogo – Willians (A-Palmeiras) – Perdeu espaço durante o ano por causa da mudança de treinador e de uma lesão. Em condições mais estáveis, deve evoluir e se firmar.

Cruzeiro – Macnelly Torres (M-Colo Colo) – Faria uma boa dupla com Pedro Ken ou Gilberto e facilitaria a vida dos atacantes da Raposa.

Fluminense – Ewerton (V-Barueri) – É um importante achado. Trata-se de um volante discreto, mas que foi importante demais para a surpreendente campanha do seu time no Brasileirão 2009.

Grêmio – Tinga (V-Borussia Dortmund) – Voltaria ao tricolor gaúcho pra trazer um diferencial importante que falta ao elenco atualmente.

São Paulo – Guiñazu (V-Inter) – Tem sido um dos melhores volantes do Brasil a cada ano, então seria uma ótima contratação, sem dúvida.

TANTO FAZ…

Cruzeiro – Zé Roberto (M-Flamengo) – É preciso ver se ele vai querer jogar o que sabe, como fez na reta final do Brasileirão 2009.

Fluminense – Ariel (A-Coritiba) – Até tem qualidade e não deveria jogar a Série B, mas viria só para ser reserva.

Fluminense – Bolatti (V-Huracán) – É jogador da seleção argentina e tem qualidade, mas é preciso ter cautela com a sua adaptação.

Vitória – Luciano Henrique (M-Sport) – O problema é que ele vem para substituir Leandro Domingues e com certeza não está no mesmo nível.

CAI FORA!

Palmeiras – Leandro Euzébio (Z-Goiás) – Foi titular durante toda a boa campanha do time esmeraldino, mas, quando o time caiu de produção, ele mostrou os defeitos que o levaram a não dar certo em alguns clubes grandes, como Cruzeiro e Fluminense.

Santos – Herrera (A-Grêmio) – O problema é que ele viria para ser a solução do ataque santista e com certeza não corresponderia às expectativas.

Santos – Magrão (G-Sport) – Não é um goleiro ruim, mas o time já tem Fábio Costa e Felipe. O primeiro até é dispensável, mas o Peixe tem que dar uma chance para um jovem revelado no clube e que fez um bom trabalho no Brasileirão 2009.

NÃO ENXERGAM?

Wagner (M-Lokomotiv Moscou) – Nem o time e nem o meia estão muito bem. Ele saiu do Brasil há pouco tempo, mas os russos podem negociar um empréstimo para que ele volte ao Brasil.

Leia também:

Read Full Post »