Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Dunga’

Era óbvio que Caio Júnior não daria certo no Grêmio. Sua personalidade tranquila não combina com o perfil viril e raçudo que todo gremista quer ver. Seu pensamento ofensivo também não combina com o futebol de resultado dos gaúchos. Mas eu não sou diretor do Grêmio. O problema é que os diretores do Grêmio pensavam igual a mim e mesmo assim o contrataram.

Além da dificuldade para superar essa desconfiança, Caio Júnior teve muitas dificuldades para achar o time ideal do Grêmio e por isso os resultados não vieram. Normal, não é fácil acertar um time com tantas saídas e contratações. Mas o elenco gremista é bom e tem potencial para dar certo na temporada, apesar desse péssimo começo de ano.

O ataque é o setor mais forte. Apesar de todos seus defeitos, Kleber é um jogador de talento diferenciado para o nível brasileiro. Vai dar certo ao lado de Marcelo Moreno ou André Lima. Falta um jogador de mais velocidade, mas o jovem Leandro, se bem cuidado, pode ser útil. E também existem volantes de qualidade, como Fernando, Souza, Gilberto Silva e Léo Gago.

Os maiores problemas estão na defesa e no setor de criação, que perdeu Douglas. Facundo Bertoglio, recém-contratado, é a nova aposta para se tornar cérebro do time. Marco Antônio também pode fazer essa função, basta posicioná-lo bem e ter paciência.

Já na zaga uma contratação é necessária. Falta um zagueiro experiente para formar dupla com o promissor Saimon. E um novo lateral esquerdo também seria bem-vindo, mas poucos times no Brasil estão bem servidos nessa posição.

Com esses dois ou três acertos, o Grêmio já pode se tornar um time competitivo em 2012. Mas para isso precisará escolher bem seu novo técnico. Se for Vanderlei Luxemburgo, esqueça. Depois de tantos trabalhos ruins, é impossível tratá-lo como um treinador de qualidade. Até a especulada contratação de Dunga seria mais inteligente. Que o Grêmio não desperdiçe também essa ideia.

Anúncios

Read Full Post »

Mano Menezes disse que a Seleção Brasileira deixou uma impressão final boa na temporada, que evoluiu durante 2011 e que questões táticas estão resolvidas. Mas é obrigação dele falar isso e tentar apagar o incêndio que quase o deixou desempregado. Cabe a nós termos mais senso crítico e ver que nem tudo está tão bem assim…

Em primeiro lugar, porque essa evolução da Seleção Brasileira só aconteceu quando ela enfrentou adversários mais fracos, no segundo semestre. Gabão, Costa Rica, Gana, México… estranho seria não ganhar desses times. O Brasil não foi verdadeiramente testado nos últimos meses, então fica simplesmente impossível dizer que o time melhorou ou piorou.

Mano Menezes
Esqueçam o que disse Mano Menezes!

Em relação à questão tática, não é fácil decifrar qual é a escolha de Mano. No último jogo do ano, contra o Egito, quando pareceu mais satisfeito, Mano apostou no 4-2-3-1 torto, com um meia de um lado e um atacante do outro. Similar ao que Dunga implantou na Seleção para a Copa de 2010. Mas várias outras táticas já foram testadas – com três volantes, três meias ou três atacantes.

Por isso fica difícil saber o que exatamente Mano prefere. Se ele realmente tem uma definição da questão tática, ainda não deixou isso claro o suficiente. E não imagino que os jogadores estejam menos perdidos sobre isso. Dá para perceber em campo…

Para não dizer que não falei das flores, há um ponto positivo no trabalho de Mano, algo que destaco pelo menos desde junho deste ano. Ele soube criar uma espinha dorsal de jogadores que são sempre convocados e formam uma base para a Copa do Mundo de 2014. Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz, Lucas Leiva, Neymar, Pato e mais alguns.

Porém, até nesse ponto positivo há vários negativos. Em primeiro lugar, porque alguns jogadores podem se sentir acomodados com essa condição. Em segundo, porque aconteceram algumas questões incoerentes. Na defesa, por exemplo, se a intenção era firmar David Luiz, por que convocar Lúcio para a Copa América e até torná-lo capitão? Há quem diga que isso gerou problemas internos, de relacionamento do grupo.

Outra incoerência: se o projeto é para 2014, por que apostar tanto em Ronaldinho Gaúcho? No Brasileirão 2011 ele já tem mostrado sua irregularidade, característica que tem marcado sua carreira durante os últimos anos. É difícil acreditar que daqui a três anos ele vá estar melhor, com mais momentos bons do que ruins. O ideal seria não perder tempo com ele e dar chances a outros atacantes de qualidade. Hulk já mostrou o quanto isso pode ser vantajoso…

Ainda assim, com toda sua inconsistência tática e incoerência nas escalações, Mano já tem uma base e talvez até um time ideal, com dúvidas apenas no gol, no meio-campo e em uma das pontas do ataque. Claro que ter essa definição tem algum valor. Mas é muito pouco para dizer que o incêndio está realmente apagado. Cuidado para não se queimar em 2012, Mano!

Read Full Post »

A atuação de Diego Souza contra o Cruzeiro, neste domingo, fora de casa, foi impressionante. Com três gols, ele manteve o seu time na liderança do Brasileirão 2011 e colocou uma dúvida na cabeça de todos: ele pode ser o craque que vai dar esse título para o Vasco?

A resposta é não. Não pode. A carreira de Diego Souza já mostra que seu principal problema sempre foi a irregularidade. Mesmo em times nos quais jogou muito bem, como Grêmio e Palmeiras, ele teve momentos péssimos. Mas dessa vez ele terá a chance de calar minha boca. Basta que não repita o que fez em 2009. Explico…

O Palmeiras liderava o Brasileirão 2009 com certa folga e tinha um craque no time: Diego Souza. A sua ótima fase chamou a atenção até de Dunga, então técnico da Seleção Brasileira, que o convocou para um jogo das Eliminatórias. Diego jogou pouco, mas foi queimado contra a Bolívia, em La Paz, e nunca mais vestiu a amarelinha. Pior: o meia sentiu o baque e o Palmeiras caiu drasticamente na tabela – não só por esse motivo, claro, mas também por isso.

Dois anos depois, a situação é parecida no Vasco. Convocado com justiça para uma Seleção que só tem jogadores que atuam no Brasil, Diego Souza não pode sentir o baque dessa vez – nem se for bem, muito menos se for mal. A concentração tem que estar no Vasco. Mas ainda duvido que ele consiga fazer isso.

O consolo para os vascaínos é a existência de um time que pode se sustentar sem o brilho de Diego Souza. Há Juninho Pernambucano, há Éder Luis, há Rômulo, há Bernardo, talvez… nenhum deles pode ser o craque do Brasileirão, mas todos têm qualidade para fazer com que o Vasco não dependa tanto de um craque.

É péssimo depender demais de apenas um jogador. Afinal, Conca só existe um. O Cruzeiro, de Montillo, que o diga. O Palmeiras de 2009 também…

Read Full Post »

Era abril de 2008. A edição nº 1317 da revista “Placar” trazia um texto de André Rizek sobre o personagem do mês, Ronaldinho Gaúcho. Mas na verdade ele era destaque por não ser destaque. Explico…

Naquele mês, a Seleção Brasileira tinha sido convocada para um amisto contra a Suécia e Ronaldinho não estava na lista. Dunga apresentou uma desculpa para não convocá-lo, todos aceitaram, poucos discutiram. Ali o Gaúcho começava a cair no esquecimento para a Seleção. Ele ainda teve chance na Olimpíada, uma ou outra convocação nos tempos de Milan, mas logo ficou esquecido. “Desencanamos dele”, como dizia o título do texto na “Placar”.

Agora parece acontecer algo parecido com Kaká. Os motivos são diferentes, a história é outra e os jogadores são bem diferentes. Mas fato é que começaram a desencanar do Kaká. Mano ainda não o convocou. Deixou ele de fora da lista para o jogo contra a Alemanha e as razões para isso passaram em branco. Por que? Está certo isso? Temos que desencanar também do Kaká?

Kaká e Ronaldinho Gaúcho

Antes da Copa América, Mano ainda chegou a ser questionado pela não convocação de Kaká. O argumento do técnico era que o próprio jogador ainda não se sentia bem para voltar. Nesta segunda, perguntado de novo sobre o assunto, ele falou, falou e não esclareceu nada, como sempre.

Até quando essa situação ficará assim? Mano já tem deixado de fora da Seleção muitos bons jogadores, como Hernanes, Arouca, Marcelo, Nilmar, Hulk, etc… Desperdiçar também a chance de convocar Kaká é um erro ainda maior. Ele pode ser importante dentro de campo, para dividir funções com Ganso e dar mais velocidade ao time, e também fora de campo, com sua experiência de três Copas do Mundo.

Não há sequer o argumento da condição física de Kaká. Ele “voltou a jogar bem, técnica e fisicamente, no primeiro amistoso de pré-temporada do Real Madrid”, segundo Arnaldo Ribeiro, que concorda comigo sobre essa necessidade da Seleção contar com o meia. Portanto, não há motivo para Kaká ter o mesmo destino de Ronaldinho Gaúcho. Não há razão para desencanar dele.

Read Full Post »

Assim que Ricardo Gomes foi demitido e o São Paulo resolveu dar uma chance para Sérgio Baresi, acreditei que isso poderia ser positivo para o time. Até fiz um post aqui para explicar esse raciocínio.

Mas esse otimismo da minha parte só viraria realidade se dessem respaldo e tempo para Baresi. Claramente não foi o que aconteceu. As derrotas vieram e agora parece que o São Paulo já busca novamente um técnico.

Vários nomes foram especulados*, mas nenhum parece realmente próximo de um acerto. Há quem garanta que a decisão já vai ser anunciada nesta quinta-feira, mas por enquanto só nos analisar quais seriam as melhores opções de treinadores para o São Paulo:

* = A especulação sobre cada técnico está linkada no nome deles abaixo

1) Abel Braga
É um técnico disciplinador, de pulso e vitorioso. Sabe motivar elencos e isso é uma das coisas que o São Paulo mais precisa no momento, já que toda a estrutura do clube parece acomodada.

O problema é que ele mesmo já admitiu que sua saída do Al-Jazeera é extremamente complicada. O Tricolor paulista também já sabe que precisa pensar em outras opções…

2) Paulo Autuori
Suas passagens recentes por Grêmio e Cruzeiro foram ruins, mas é inegável que ele tem qualidades. Já conseguiu algum sucesso no São Paulo e certamente teria a torcida ao seu lado, pelo menos no princípio. Traria alguma tranquilidade ao conturbado ambiente do time do Morumbi.

3) Tite
É um técnico subestimado no Brasil, talvez pelo seu jeito de falar, talvez por ser contido demais. Mas tem conhecimento tático de futebol e já tirou outro time grande, o Corinthians, do perigo do rebaixamento, que é o principal fantasma atualmente no São Paulo.

4) Silas
Apesar de ter errado demais recentemente no Grêmio, ele tinha mostrado, no 1º semestre, alguma qualidade. Seu trabalho no Avaí, no ano passado, também tinha sido ótimo. Aparenta ser um técnico inteligente e pode dar certo em um clube no qual ele já fez sucesso como jogador.

5) Dunga
Quem acompanha esse blog sabe que eu não era um dos maiores críticos de Dunga na Seleção Brasileira. Por isso creio que ele merecia uma chance para treinar um time no Brasil. Seu estilo sério e disciplinador pode trazer um bom choque para o São Paulo.

Entretanto, por problemas pessoais, parece que Dunga não tem a intenção de voltar a treinar em breve.

6) Sérgio Soares
Seria uma aposta, já que o atual técnico do Santo André é novo e nunca treinou um time grande. Porém, ele já mostrou que tem qualidades e pode assumir esse desafio.

Sérgio montou o time que surpreendeu no Campeonato Paulista com algumas jovens revelações, exatamente o que o São Paulo poderia tentar fazer agora.

7) Vanderlei Luxemburgo
Ele não desaprendeu a montar bons times, mas com certeza está em decadência na carreira. Além disso, tem um perfil que não agrada parte da diretoria são paulina, o que atrairia ainda mais confusão para um time que já está com o ambiente conturbado demais.

8) Antônio Lopes
Confesso que fui surpreendido por seus bons resultados no comando do Avaí, mas continuo duvidando de sua capacidade atual. Antônio Lopes já foi bom, mas o tempo dele passou e hoje ele não conseguiria tocar a renovação que o São Paulo tanto precisa.

9) Leonardo
Sua passagem pelo Milan foi no mínimo estranha e ele não parece disposto a exercer esse função novamente. Aparenta ter um estilo comedido demais, sendo que o São Paulo, no momento, precisa de um técnico mais enérgico. Pesa contra ele também a falta de experiência.

10) Toninho Cerezo
Seu trabalho como treinador é pouco conhecido no Brasil, mas a recente passagem pelo Sport já deixou sinais negativos. O único ponto forte que consigo enxergar em sua contratação é o fato dele ter uma história gloriosa como jogador do São Paulo, o que poderia acalmar a torcida.

11) Maradona
Prefiro ficar com as palavras de Leco para comentar esse boato absurdo que surgiu sabe-se lá como: “É dificil, porque o São Paulo quer ser dirigido por homens do futebol, e não de marketing. Ele seria bom em marketing, mas no próprio país dele existem treinadores de mais qualidade”.

Read Full Post »

A derrota de Ricardo Teixeira está mais do que confirmada. O técnico que o incompetente presidente da CBF queria para a Seleção Brasileira não assumiu a equipe, que mesmo assim ficará em boas mãos. Assim como quase toda a imprensa, acredito no sucesso de Mano Menezes.

Além de ter comandado boas campanhas no Grêmio, é um treinador que fez um ótimo trabalho em 2009, sempre destacado aqui. Errou no seu maior desafio, a Copa Libertadores de 2010, mas soube recuperar o Corinthians como poucos fariam. Além disso tudo, existe uma questão tática interessante que merece ser destacada.

Mano usou o 4-2-3-1 no já citado Corinthians de 2009, por exemplo, e também no Grêmio de 2007. Esse foi o mesmo esquema de Dunga na Copa de 2010. Essa coincidência pode fazer com que a Seleção evolua com facilidade rumo à disputa da Copa de 2014. Claro que é preciso renovar as peças. Mas Mano não terá dificuldades para fazer isso com a maioria das posições.

O Brasil tem ótimos volantes. Lucas Leiva e Elias, que já trabalharam com Mano, devem receber mais chances a partir de agora. E ainda existem boas opções como Denílson, Sandro, Arouca, Ramires e Hernanes. Todos esses devem aparecer nas próximas listas da Seleção.

Mano também terá opções para escolher seus meias centrais de criação, já que Kaká, Ganso, Diego e Giuliano são algumas das boas opções que ele tem para compôr esse setor e fazer as funções que eram de Tcheco em 2007 e de Douglas em 2009.

A variedade de alternativas ainda aumenta quando estudamos quem poderá criar pelas pontas. Mano já comandou Carlos Eduardo e Diego Souza nesa posição, portanto são jogadores que podem voltar para a Seleção. Além deles, Elano,  Alex (ex-Inter), Michel Bastos e os atacantes Robinho, Nilmar, Neymar e Pato também podem ser lembrados.

Acostumado a trabalhar com Ronaldo no ano passado, um grande problema para Mano deve ser achar o centroavante ideal para a Seleção. Mas isso é assunto para outro post em breve…

Veja também:

Read Full Post »

Se o mundo fosse um lugar ideal seria legal apoiar as sugestões de Mauro Cezar Pereira e Flávio Gomes: ambos imaginaram como seria interessante se os técnicos cogitados para substituir Dunga na Seleção Brasileira se recusassem a assumir o cargo.

No entanto, é totalmente improvável que isso aconteça e o melhor a fazer é estudar quais dessas opções são as mais interessantes para ficar com a bomba de evitar um novo Maracanazzo a todo custo. É o que tento analisar abaixo, com a lista dos 11 treinadores que podem assumir o Brasil a partir de agosto:

1) Felipão
É o nome mais óbvio e mais citado. Por isso causa tanta polêmica. Vitor Birner, Cassiano Gobbet e José Ilan o citaram como melhor opção. Já Ubiratan Leal e Mauro Cezar Pereira levantaram questionamentos e desconfianças.

Pois eu concordo mais com o primeiro grupo, mas não acredito que Felipão aceitará o desafio. Afinal, tem pouco a ganhar: caso ele vença a Copa, dirão que ele só fez sua obrigação. Caso perca, queimarão tudo de bom que ele realizou em 2002.

2) Mano Menezes
Alberto Helena Jr. e Carlos Pizzatto disseram preferir o técnico do Corinthians no comando da Seleção. Quase me convenceram a concordar com isso, admito.

É um técnico que já foi muito elogiado aqui, mas também teve grande parcela de culpa pelo fracasso alvinegro na Copa Libertadores. Ainda parece não estar pronto, mas pode dar certo.

3) Leonardo
A Seleção precisa de um coordenador e talvez o nome ideal para esse cargo seria o de Leonardo, como eu já tinha comentado no twitter. Com experiência em cargos administrativos, bom relacionamento com a imprensa e conhecimento do futebol internacional, ele aliviaria a pressão do técnico do Brasil para 2014.

Porém, como treinador, sua contratação seria um erro. Seu trabalho no Milan foi apenas razoável e ele ainda é inexperiente. Talvez assuma como tapa-buraco para que alguém melhor venha em 2012, mas é um grande risco.

4) Vanderlei Luxemburgo
Há quem ainda veja nela um ‘técnico top’, mas só consigo enxergar sua decadência nos últimos anos. Luxa já teve sua chance na Seleção e a desperdiçou, até por questões extra-campo.

Agora, com seu especulado envolvimento exagerado com o pôquer e fracassos seguidos em clubes grandes, como Palmeiras e Santos, não é a hora de dar nova oportunidade para ele.

5) Muricy Ramalho
Existem notícias e comentários que o especulam para o cargo, mas duvido que a CBF o contrate. Afinal, mais do que nunca a entidade precisa de um bom relacionamento com a imprensa (leia-se Globo) e Muricy definitivamente não prima por isso.

6) Paulo Autuori
Seu nome tem sido pouco cogitado na imprensa, até porque ele ainda está no futebol do Catar, mas ele tem bastante do perfil que a CBF procura e é um candidato com grandes chances.

Veja bem: candidato com chances não é candidato bom. São coisas diferentes. O último trabalho razoável de Autuori foi em 2005, no São Paulo, e ainda assim com ressalvas. Enfim… não gosto da ideia, mas já começo a me acostumar com ela.

7) Ricardo Gomes
A ida do técnico do São Paulo para a Seleção tem sido razoavelmente especulada e sem dúvidas ele é outro que tem um perfil interessante na visão da CBF. Mas…

Como bem lembrado por Marcelo Barreto, é preciso sempre destacar que, como técnico específico da seleção olímpica, ele não conseguiu sequer classificar a geração de Diego e Robinho aos Jogos de 2004, em Atenas.

8) Dorival Júnior
O bom trabalho que ele tem feito no Santos passou a credenciá-lo como técnico de nível de Seleção, mas a verdade é que ele ainda está distante disso.

Aliás, o próprio Dorival admitiu que há gente mais capacitada do que ele. Concordo. E é preciso destacar que essa declaração só mostra como ele é inteligente, tem potencial e ainda pode vir a ser um treinador do alto escalão brasileiro no futuro.

9) Falcão
Uma entrevista recente de Ricardo Teixeira, no qual ele falou sobre renovação, fez com que o nome do comentarista fosse especulado. O presidente da CBF lembrou que Falcão trouxe novos nomes para a Seleção após a copa de 1990, mas “foi sacrificado”.

No entanto, é preciso lembrar, como fizeram Ubiratan Leal e Dassler Marques, que esse discurso de Teixeira não deve ser posto em prática, infelizmente. E, dessa forma, acabarão as chances de Falcão virar de novo o técnico do Brasil.

10) Abel Braga
É um técnico experiente e vencedor, que lembra o estilo de Felipão. Por isso já foi cogitado na imprensa. Mas o fato é que seu melhor momento já passou, atualmente ele está esquecido e dificilmente será convidado.

11) Caio Júnior
É brincadeira do Zagallo neh?!!!

Até o Joel Santana disse que pretende entrar nessa festa. Mas aí a brincadeira passa dos limites…

Read Full Post »

Older Posts »